Alezzia acertou em cheio ao contra-atacar ataque feminazi

10
177

A empresa Alezzia, que faz e vende móveis em aço inox, foi atacada por feministas após uma campanha que mostrava – pasmem! – uma garota com traje de banho. Os ataques foram motivados por conta da suposta objetificação da mulher, uma das principais bandeiras do fascismo cultural. O único problema é que desta vez o tiro saiu pela culatra.

Parece que a empresa, aproveitando os ataques e entendendo que todos estão de saco cheio dessa patifaria, resolveu contra-atacar. A Alezzia fez uma campanha, que terá efeitos de marketing extremamente positivos sobre a marca, mas que também surtirá efeitos morais contra as feministas. Dê uma olhada:

15421027_1435413049855124_7272379962033553905_n

A ideia foi simplesmente genial, porque em todos os cenários possíveis as feministas perdem – moralmente – e a marca sai ganhando. Se as avaliações ficarem mesmo baixas, o movimento feminista terá agido de forma imoral para evitar que crianças com deficiência recebessem uma doação, mas se as avaliações ficarem altas a derrota para as feministas também será moral, pois estará evidente que todas as pessoas mentalmente sãs não querem mais saber desse jogo sujo do fascismo cultural.

Se mais empresas começarem a entender esse jogo, esses achincalhamentos públicos feitos por movimentos de extrema-esquerda vão, gradativamente, perdendo efeito. A Alezzia, por ter enfrentado a ditadura imoral da esquerda, sairá ganhando.

Anúncios

10 COMMENTS

  1. Imagem de extremo bom gosto, uma belíssima mulher faz com que o produto aparente mais beleza.
    Como comentei em outro post “Se colocassem um gordo peludo, com cofrinho aparecendo, em cima da mesa e um texto alusivo a reclamação das ‘feministas’, seria épico!”

    Só acho que a campanha deu trela pras feminazis aparecerem. E era só isso que elas queriam.

  2. Roger, parece que a treta começou não por causa da modelo, mas porque o dono da empresa fez um comentário realmente machista sobre mulheres designers no Behance. Daí devassaram a vida do cara e chegaram até à Alezzia (e cá entre nos, isso torna as coisas AINDA piores, eu não me surpreenderia se, no final, ele tivesse sido doxxado).

    Pra piorar, o desafio inicial NÃO fazia menção à AACD, isso veio a posteriori quando viu que ia perder. Daí não sei mais se o contra-ataque foi bom…

    Anyway, claro que nada disso dá razão aos fascistas culturais, ainda que o dono da Alezzia esteja errado nisso tudo. Isto é um caso clássico de “socialismo democrático”, como definiu o Morgenstern (não me bata!!) láááá atrás, ainda no Urubudsman: “Se na U.R.S.S., China, Tchecoeslováquia, Coréia do Norte, Cuba et tutti quanti podia-se abertamente deportar, matar e escravizar aqueles taxados de burgueses, o socialismo democrático segue os ritos da democracia: a classe de burocratas e sindicalistas que enxameia e aparelha o governo continua podendo tudo, até mesmo assassinato (vide os casos Celso Daniel e Cesare Battisti, com seu companheiro de PSOL Achille Lollo, e o tanto que os juristas de porta de cadeia reclamam de cada assassino e traficante ‘pobre’ preso). Já o ‘burguês’ será perseguido como sempre… mas esperar-se-á que cometa um crime, afinal, antes de mofar no xilindró.” (grifo meu)

  3. Graças a esse marketing conheci a empresa, minha esposa adorou os móveis, assim que finalizarmos a piscina com certeza visitaremos a mesma para compras. Obrigado feministas gordas e peludas pela dica hehehe…..

Deixe uma resposta