Eugênio Aragão se rasga de ódio porque não pode mais atingir Deltan Dallagnol

7
52

Quando o governo Dilma caía pelas tabelas – estava para sofrer impeachment, o que de fato aconteceu – o petista Eugênio Aragão foi nomeado como Ministro da Justiça, em substituição a José Eduardo Cardozo. Todos diziam que sua missão era brecar a Lava Jato. Claro que ele tentou emitir narrativas dizendo que “daria todo apoio à Lava Jato”. Mas a narrativa arrefeceu quando ele ameaçou trocar toda a equipe se mais uma informação fosse vazada, em atitude tão autoritária como nos tempos do nazismo.

Relembre a afirmação inesquecível e comprometedora: “A primeira atitude que tomo é: cheirou vazamento de investigação por um agente nosso, a equipe será trocada, toda. Cheirou. Eu não preciso ter prova.”.

De qualquer forma, Aragão não durou muito tempo no cargo.  Dilma sofreu impeachment e a Lava Jato seguiu.

Agora, fora do poder, resta a Aragão escrever dia após dia contra a Lava Jato – sempre com aquela narrativa furada de que “a operação prejudica a economia” -, chegando ao seguinte momento hilário: “Vocês conseguiram agradar ao irmão do norte que faturará bilhões de nossa combalida economia e conseguiram tirar do mercado global altamente competitivo da construção civil de grandes obras de infraestrutura as empresas nacionais. Tio Sam agradece. E vocês, Narcisos, se acham lindinhos por causa disso, né? Vangloriam-se de terem trazido de volta míseros dois bilhões em recursos supostamente desviados por práticas empresariais e políticas corruptas. E qual o estrago que provocaram para lograr essa casquinha? Por baixo, um prejuízo de 100 bilhões e mais de um milhão de empregos riscados do mapa.”

Deve ser uma situação deprê mesmo esta vivida por Aragão. Meses atrás se sentiu com poder suficiente para parar a Lava Jato. Agora só lhe resta ver o sucesso cada vez maior da operação, sucesso este que chegou ao exterior, que já sabe que estamos diante do maior escândalo de corrupção da história. E com um bônus: ele não tem como atingir Deltan e os demais procuradores da Lava Jato. Resta o esperneio.

Anúncios

7 COMMENTS

  1. Em 2916…

    DILMA é um produto a ser consumido e comprado (mesmo que sem dinheiro). Um produto tal qual um “Danoninho©”, produto esse industrial, com sedutoras fotografias de suculentos morangos externos (naturalmente que não física e materialmente internos!). Pegando na real o consumidor pela imagem mítica e não pela realidade interna.

    «Coração-Valente©» (até Lula sabe! Não sejamos bobos): tal qual a frase mítica do Danoninho© que “vale por um bifinho”, também a pupila de Lula utiliza-se de um simulacro mítico que não reflete o “interior do pote”; a saber: a incapacidade dela de governabilidade, péssima articulação política (Maquiavel), horroroso projeto econômico de fiasco a pino, e ineficácia republicana, fraude. ¿O que adianta, então, afinal, o mito publicitário engana-trouxa de «Coração-Valente©»? Adianta nada!

    E, complexando um pouco [não precisava…; mas vai aí], que discursa assim: «(…) não acho que quem ganhar ou quem perder, nem quem ganhar nem perder, vai ganhar ou perder. Vai todo mundo perder.». Esse é o ver-da-dei-ro Coração-Valente© dos anos 60… Ponto final.

    Eis aí a utilização de clichês publicitários míticos para pegar o eleitor pelas VÍSCERAS: acertados, mas, verdadeiramente, engana-trouxa… A minoria escapa da artimanha, da burla e da ilusão petista.

    Verdadeiramente, a VIGARICE & picaretagem é a POPULARIDADE DE MITOS como a MITOLOGIA do «Coração Valente©,»… Um produto a ser vendido e comprado pelo eleitor, devido apenas ao vazio do mito.

    E, também, por outro lado, o problema é a SUAVE & disfarçada truculência do PeTê… Repare:
    É evidente que o Petismo se utiliza de técnicas das mais brilhantes de publicidade; brilhantes, mas embusteiras.

    ¡Jamais 1 Danoninho© vale por um bifinho!

    P.S.:
    ¿Como identificar um petista? Simples! Pela escrita. É singelo e sem enfeites. Veja:

    Amam o FHC (de maneira enrustida), a toda hora estão a falar no velho…

    E, mais singelo, amam o PSDB à distância — não chegam perto, a longos 13 anos, falam sem parar no partidinho com rigor acadêmico, análise e tudo… São loucos inconscientes para ter como 2ª mulher ou amante o PSDB… Amor enrustido.

    [Obs.:
    Na música brasileira temos a baixa-cultura corroborada pelo PT nesses 13 anos. O atual lixo cultural do Brasil petista. A breguice, cafonice, baranguice e o kitsch do Petismo].

    = FIM =

    • Como diz a Regina, no próprio Portal do Antagonista:
      “Quer dizer que para confrontar e competir com o tio Sam vale a pena ser corrupto, roubar o povo e tentar perpetuar-se no poder?Que sujeito nojento.”
      Sem mais!

Deixe uma resposta