Marina pede renúncia de Temer, mas ainda não renunciou à sua candidatura

1
60

Está cada vez mais difícil para Marina Silva esconder seu petismo exacerbado. Em artigo, ela sugeriu a Temer que renunciasse. Alegou que ele “perdeu a majestade”. Engraçado que ela deixou Dilma governar por vários e vários anos antes de pedir para ela sair. Para Temer, ela deu cinco meses de prazo. Aí realmente fica difícil esconder o petismo de Marina…

No texto, ela citou “Rei Lear”, de William Shakespeare. Mas só aplicou a técnica do estilo sem substância: “Em algum ponto perdeu-se o ideal, deixou-se de ouvir o chamado, e a maior parte da geração que está no poder parece irremediavelmente perdida. Mas ainda nos reencontraríamos se, num momento de sabedoria, ouvíssemos o chamado do bobo shakespeariano que também ecoa nos versos de Pessoa: ‘Abdica, e sê rei de ti mesmo’.”

O detalhe é que ela ainda não abdicou de sua candidatura à presidência, logo não tem moral alguma para pedir que o outro abdique. Em tempo: todos sabem que Marina é plano B do PT, e que Lula estará anunciando sua candidatura no primeiro semestre. Ou seja, temos outro caso de gente que pede renúncia do outro mas não renuncia nem sequer à própria candidatura.

Quem sabe se Marina organizar um documento para que ela e Lula desistam de seus direitos políticos, podemos pensar em acreditar nela. É o tal lema de Gandhi: “Você deve ser a mudança que quer para o mundo”. Se nem Marina e nem Lula renunciarem – além de assinarem documentos inviabilizando suas candidaturas -, não tem moral para pedir a renúncia de ninguém.

Anúncios

1 COMMENT

  1. Tem uma narrativa fácil de ser usada contra a da renúncia: se a chapa Dilma-Temer pode ser cassada a qualquer momento, pedir renúncia é só para distrair.

    Por quê? Porque a chapa não tinha só presidente.

Deixe uma resposta