Por que Julian Assange era tão amado pela esquerda e agora é alvo de seu ódio?

2
98

O australiano Julian Assange, o número 1 por trás do projeto Wikileaks, é hoje perseguido pela esquerda norte-americana. Em ritmo psicopático (culpando os outros por seus fracassos), os esquerdistas dizem que os dados revelados por Assange no Wikileaks ajudaram a derrubar a candidatura de Hillary.

Hoje chegam até a dizer que ele é um aliado de Putin, sendo qualificado até como um agente da KGB. O discurso soa como aqueles utilizados na época do macarthismo, só que com a chavinha virada.

Porém, há vários anos, Assange era um ídolo para esta mesma esquerda. Isso aconteceu quando o Wikileaks vazou documentos que comprometeram a administração Bush – inclusive expondo dados comprometedores sobre as guerras do Iraque e do Afeganistão – e dando um gás adicional aos candidatos esquerdistas.

Em resumo, Julian Assange era “o cara” apenas quando seus vazamentos prejudicaram candidatos republicanos. Hoje, é tratado como “o inimigo da nação” quando seus vazamentos prejudicam candidatos da esquerda. O duplo padrão se manifesta mais uma vez, mostrando como psicopatia e esquerdismo caminham em par.

 

Anúncios

2 COMMENTS

  1. Por outro lado, a direita vivia condenando o Assange e agora o vé como aliado. Trump fez muito bem em condenar o governo Bush, pois embora Bush não fosse de direita, sua incompetencia claramente se associava a direita (os democratas faziam questão de usar esse frame).

  2. Eu era um que desconfiava muito do Assange, mas com essa ele me convenceu que não é um fantoche da esquerda, e nem da direita. Mas eu posso fazer essa mudança sem peso na consciência porque eu nunca defendi os políticos bandidos alvos dos seus vazamentos, apenas tinha dúvidas quanto ao time que ele jogava. Mas os esquerdistas estão demonstrando toda sua hipocrisia porque até “ontem” eles caíam de amores pelo cara. Esquerdistas são mais falsos que moeda de 1,99.

Deixe uma resposta