Reação desproporcional ao massacre em Manaus expõe a perversa indiferença às vítimas inocentes

1
64

O maior erro de algumas pessoas da direita é repreender as pessoas que estão chorando pelos 60 bandidos mortos em Manaus e agora vão chorar novamente pelos 31 bandidos assassinados em Roraima. Pode parecer cruel dizer a essas pessoas: “seu choro é errado”. Imediatamente, elas o rotularão de cruel e desumano.

A melhor forma de agir, para a direita, não é questionar o choro derramado pelos bandidos mortos, mas sim a desproporção entre o choro dedicado aos bandidos com o choro dedicado às vítimas inocentes. Ou seja, passamos a questionar: “Por que você chora tanto pelos bandidos e tão pouco por nós?”.

Se posicionarmos a questão dessa forma, aí a mídia esquerdista passa a se complicar, junto aos demais formadores de opinião que os acompanham. A partir desse questionamento, eles não precisam se explicar pelo nível de choro dedicado aos bandidos morto, mas à falta de lágrimas destinadas às vítimas inocentes.

Estamos chegando em um período de nossa história na qual o povo precisa começar a se indignar com o desprezo dedicado aos cidadãos honestos vítimas de crimes. Falamos de pessoas que não cometeram crimes, mas já foram vítimas de bandidos, ou ao menos tiveram pessoas em sua família ou circulo de amizades e relacionamentos que tenham sido vitimadas.

Por uma semana – desde a divulgação da morte de 60 bandidos em Manaus, no dia primeiro – grande parte do povo brasileiro que é vítima (ou potencial vítima) da violência urbana foi arrogantemente ofendida por uma elite jornalística e formadora de opinião indiferente ao seu sofrimento no momento de priorizar a dedicação de seus sentimentos de dor aos bandidos mortos.

Esse desprezo pelas vítimas inocentes chega a ser um crime moral que, como tal, deve ser exposto.

Anúncios

1 COMMENT

  1. Por que não surge uma liderança que consiga materializar esse sentimento de indignação ? Alguem com voz e personalidade capazes de aglutinar os insatisfeitos com essa situação em torno de um movimento de reação

Deixe uma resposta