Secretário que sugeriu que morressem mais presos é demitido. Se ele pedisse morte de conservadores, seria punido?

4
85

O ex-Secretário Nacional da Juventude do governo Temer, Bruno Júlio (PMDB-MG), fez algo que indignou toda a elite esquerdista: emitiu uma opinião em consonância com a maior parte da população, cansada do crime.

Ele disse : “Eu sou meio coxinha sobre isso. Sou filho de polícia, né? Tinha era que matar mais. Tinha que fazer uma chacina por semana”. Embora polêmica, esta é a opinião de grande parte da população, que merece empatia e respeito.

Pois ele apresentou seu pedido de demissão após pressão do fascismo cultural (que não admite opiniões “não toleradas”). Ele explicou: “O que eu quis dizer foi que, embora o presidiário também mereça respeito e consideração, temos que valorizar mais o combate à violência com mecanismos que o Estado não tem conseguido colocar a disposição da população plenamente”, disse Bruno, em nota.

Pois agora sabemos que uma pessoa com posicionamento mais ou menos de direita não pode emitir suas opiniões caso elas atinjam o interesse da classe criminosa.

Mas veja o que disse Mauro Iasi, do PCB, requerendo que os conservadores de direita fossem mandados para o paredão:

A regra é clara. Não há sanções para quem pedir morte de conservadores. Mas se pedir a morte de bandidos violentos nas prisões, aí o sujeito se ferra. Talvez está aí a origem da crise ética pela qual o Brasil passa.

Anúncios

4 COMMENTS

  1. Não sei porque as nossas leis defendem mais estes BANDIDOS, ASSASSINOS E CORRUPTOS enquanto estes medíocres FDP estão matando o povo honeste trabalhador e pagadores de impostos….. O Brasil já está mais que na hora de mudar o código penal e colocar em prática a PENA DE MORTE se alguém se sensibiliza por estas ASSASSINOS… deveriam se colocar no lugar das vítimas inocentes que foram mortas, estrupadas e roupadas por bandidos e políticos.

  2. O que incomoda é o silencio dos conservacornos e moderados como o eterno vice Temer, que tem como função controlar pessoas a direita deles e virar as costas para as extravagancias de esquerdistas.

    “Talvez está aí a origem da crise ética pela qual o Brasil passa.”

    Enquanto não existir um Rodrigo Duterte brasileiro, continuaremos sendo vitimas dos valores brasileiros de defesa desproporcional aos bandidos

Deixe uma resposta