Dizer que Trump vai se ferrar por "bater na mídia" é apelar ao mito. A mídia só respeita quem a desconstrói.

4
143

O lado mais divertido da guerra política é observar a quantidade de falsas pistas dadas pelo adversário. Com certo tempo de prática, não caímos em mais nada. Muitas vezes algumas pessoas alinhadas ao nosso espectro político também acabam pautados pelos blefes oponentes.

Por exemplo, o apresentador Joe Scarborough, da MSNBC, não gostou da carcada de Stephen Bannon, estrategista chefe de Trump – que disse que a mídia deveria estar “envergonhada e humilhada” com os resultados das eleições.

Assim ele respondeu: “Esta é a pior estratégia. É preciso ter uma perspectiva história do que significa ficar contra a imprensa. Eles venceram Hillary Clinton, a única política na América menos confiável que Donald Trump”.

Scarborough usou a narrativa de que Hillary teve 3 milhões de votos (o que é irrelevante, dado que a votação é baseada no Colégio Eleitoral, onde Trump venceu): “Se eles quiserem expandir sua base pelos próximos quatro anos, isto pode terminar, muito, muito mal”.

Na verdade, é o oposto. A grande mídia não entende a linguagem direta. Eles não entendem pedidos por honestidade, e nem protestos por clemência. Eles só entendem uma linguagem: a do dano que podem sofrer.
O PT soube fazer isso muito bem. Bateu na mídia tanto, mas tanto que até criaram o rótulo “PIG” (partido da imprensa golpista). Mesmo assim, a mídia corre atrás do PT feito um bando de cachorrinhos.

Na realidade, a mídia não respeita aqueles a quem agride e se calam. Os passivos são feitos para serem destruídos e humilhados. Enfim, servem para serem devorados pelos leões na arena.

Entretanto, se alguém causa um dano à imprensa, ela muda a forma de pensar, começando a balancear as próximas ações, pensando: “Devo comprar mais uma briga com ele, que reage, ou não?”.

Logo, Donald Trump está fazendo o certo ao bater na mídia. Se ele ficasse calado, seria aniquilado com mais facilidade. Agora, tem boas chances de fazer avançar seu mandato.

Anúncios

4 COMMENTS

  1. Não canso de repetir: O Trump precisa ser vingativo e rancoroso com a mídia esquerdista se quiser sobreviver como Presidente! O Trump precisa perseguir JURIDICAMENTE Todos os Veículos Esquerdistas, como CNN, MSNBC, NYTIMES e Washington Post, só para citar alguns! E, mais do que isso, ele Trump precisa processar e prender o George Soros e a Cúpula Democratra, Obama e Clintons inclusos!

  2. Penso que a ideia seja esta mesma contida no título do seu “post”. Ainda mais, para justificá-la, apelo ao PARADOXO da TOLERÂNCIA, relembrado por Popper, em “Sociedade aberta e seus inimigos”, conforme formulado:

    A ‘tolerância total’ ATENTA contra a própria TOLERÂNCIA; pois, diante da ‘tolerância total’, os INTOLERANTES destruirão todos os TOLERANTES e, assim, só restarão a INTOLERÂNCIA e os INTOLERANTES.

  3. A mídia perdeu, e perdeu feio. Toda sua narrativa manipulada e mentirosa foi desmascarada. Hoje está tentando desesperadamente manter alguma influência na opinião pública. A propósito, leiam que o Reinaldo Azevedo escreveu: “(…) Ao contrário: o sistema, com erros e acertos, deu prova de vitalidade. Então como foi que o desastre se deu?
    Trump, com efeito, é um acontecimento só possível na era das redes sociais. Os demagogos de plantão tendem a chamar isso tudo de “o verdadeiro povo” — como se os críticos do presidente fossem o “falso”. Não! Não são “o verdadeiro” coisa nenhuma! Até porque os mecanismos de manipulação da opinião pública e de plantação deliberada de mentiras estão comprovados. O que as redes têm feito, isto sim, é nivelar verdades e mentiras. No fim das contas, tudo seria apenas “opinião”.
    Mais: paranoides como Trump sempre estão a insinuar que há grandes conspirações e maquinações em curso e que um ente maligno qualquer, escondido em algum lugar do planeta, está engabelando todo mundo. Os agentes das trevas seriam “os políticos”. E Trump, por óbvio, se apresenta como um não político.”
    A culpa é das “redes”, do facebook…, dos ignorantes americanos. É a fase negacionista do esquerdista perdedor. É um delirante, não entende nada do povo nem de politica americana. O Reinaldo Azevedo se diz liberal, conservador mas ora faz narrativa esquerdista, ora conservadora. É o típico espertinho que se deu bem batendo no PT mas depois percebeu que batendo nos dois lados, sendo “isento”, podia arrumar uns bons empregos. Essa matéria lhe rendeu um comentário.

Deixe uma resposta