Extrema-esquerda levou criminoso condenado ao Congresso para atacar adversários políticos

0
124

As acusações contra Carone são múltiplas. Formação de quadrilha, falsificação e uso de documentos públicos e particulares, fraude processual, dentre outros. Na véspera de ser preso e com 11 testemunhas arroladas contra si, o auto-intitulado “jornalista” partiu para uma ação desesperada, atacando 10 das testemunhas em seu jornaleco, que já não circulava mais no impresso, tendo apenas um site, acusando-as de práticas criminosas variadas. Nada mais esquerdista do que o clássico ‘acuse-os do que é, xingue-os do que você faz’.

Quando foi preso, Carone teve seus movimentos criminosos ligados diretamente à Nilton Monteiro, lobista responsável pela invenção da famigerada “Lista de Furnas”, que buscava envolver políticos em propinas na estatal federal. Os movimentos da quadrilha eram comandados por Monteiro, em um jogo combinado com Carone. Ele vazava os supostos “furos” contra os inimigos que visava para o jornaleco do comparsa e em seguida disseminava seus falsos dossiês. Monteiro, a propósito, também foi preso.”

Tudo isso é natural para a extrema-esquerda, e é necessário que tenhamos tal noção. Assassinar reputações é, para eles, não só uma prática aceitável, ela é necessária, está no DNA. Quem acompanhou as eleições de 2014 sabe a quantidade de boatos contra Aécio Neves que foram propagados pela esgotosfera petista e psolista. Quem viu o que aconteceu em São Paulo no ano de 2006, quando Alckmin concorria à presidência contra Lula, sabe bem do que se trata.

Ainda em 2006, um grupo ligado ao PT e Aloízio Mercadante, que concorria ao governo de São Paulo, tentou forjar um dossiê para queimar a imagem de José Serra. Ainda de acordo Pessoas ligadas ao partido foram presas em flagrante com dinheiro ilícito que seria usado para forjar o tal dossiê. É por isso que se formos inteligentes de verdade, sempre esperaremos o pior dessas pessoas, porque elas são capazes de fazer o pior.

Anúncios

Deixe uma resposta