Mais um fã de Trump é agredido, provando que esquerda de fato estava prestes ao totalitarismo nos EUA

5
102

Rodrigo Constantino escreveu uma matéria a respeito de outro eleitor de Trump violentamente agredido por esquerdistas. O caso ocorreu no Aeroporto Internacional de Portland. Vamos ver o que Constantino informou:

“Trump é o alvo prioritário dessa turma. E, para combater o “intolerante”, o “fascista”, vale tudo, inclusive demonstrar muita intolerância e práticas bastante fascistas. É o que têm feito muitos “manifestantes”, que saem quebrando coisas, intimidando, até agredindo.

Vejam esse caso ocorrido no Portland Internacional Airport. Numa dessas tantas “manifestações” organizadas pela cúpula esquerdista contra a medida do presidente para proteger a nação da entrada de eventuais jihadistas, um grupo de baderneiros partiu para a agressão e derrubou com um duro golpe um rapaz que estava lá para defender Trump.”

Vejamos o vídeo:

O nome da vítima é Grant Chisholm, de 39 anos, e ele contou que um dos “manifestantes” bateu nele três vezes com um objeto metálico. Acrescentou que ele desmaiou depois de vomitar, e mesmo assim foi agredido novamente na cabeça. Disse que quase morreu naquele dia. No vídeo acima vemos outra vítima dos agressores anti-Trump, os mesmos que estariam protestando em prol da “tolerância”. É possível ouvir um deles gritando “seu garoto foi derrubado”, e depois “Isso mesmo, garoto nazista, onde está a porra do seu Fuher agora?!”

Essa situação mostra algo muito importante: a esquerda americana, que costuma ter aparência de “moderada”, estava muito mais preparada para o extremismo e para o totalitarismo do que a esquerda radical brasileira. O fato de Hillary Clinton ter sido derrotada nas urnas gerou nestas pessoas um sentimento de desespero, e de repente eles se viram diante da necessidade de agir como sempre quiseram agir. Bem lá no fundo, eles sempre tiveram vontade de agir dessa forma animalesca, mas antes não faziam porque isso acabaria pegando mal para o seu partido no poder.

Quem realmente acredita que esquerdistas americanos são muito diferentes dos brasileiros é porque não conhece a história de verdade. O que acontece lá, em certos pontos, é até pior do que o que tem ocorrido por aqui desde o ano passado. Aqui os esquerdistas em sua maioria se limitaram a ameaçar e atacar patrimônio, mas por lá a coisa já avançou um nível e eles estão atacando fisicamente pessoas com uma frequência absurda.

A esquerda americana estava prontinha para o totalitarismo e se viu frustrada com a vitória de Trump.

Anúncios

5 COMMENTS

  1. Fico imaginando se o caso fosse com sinal trocado, democrata sendo espancado por republicanos. O Estudioi bombaria dois dias com Marcelo Lins, a Maria, um convidado negro, um gay e uma feminista detonando a direita e Trump, depois emendaria no Em Pauta como os nossos já conhecidos e desatrosos jornalistas e no sábado teria um Especial “A volência de rua na Era Trump”…..Vão se ferrar seus fdps.;

    • Raciocine um ponto além, porque já temos exemplos aqui dessa tática.

      A esquerda está “chamando pro pau”, para que a direita caia no truque e, aí sim, a esquerda vai capitalizar em cima. Basta ver o exemplo da Letícia Sabatella, que foi numa manifestação antiesquerda, provocar quem estava lá, para depois se dizer vítima.

      Em resumo, são atitudes menores para ver se o Trump mande a polícia combater (ou os próprios cidadãos comecem a se organizar contra) para poder justificar “aaain fascismo!”

      • A esquerda americana está apenas (1) provocando a direita para que (2) a direita a agrida e então (3) a esquerda deixar-se agredir sem reagir só para posar de vítima?

        Parece que não, a esquerda americana está furiosa e quer atacar fisicamente mesmo.

  2. Olá Luciano, lembra há muitos anos que comentei que era da direita aprender com a neue dextra? É hora de botar em ação. Juntar e destruir esses lacaios de George soros!

Deixe uma resposta