Com Lula solto, Eike aprende a dura e humilhante lição de Lenin

13
203

Já vi pessoas de direita reclamando da humilhação a que Eike Batista tem sido submetido nos últimos dias. Reclamavam não do fato de ele ter sido preso, mas de ter sido exposto à humilhação de ter seu cabelo cortado e, enfim, ser exibido ao público como alguém que usava peruca. Ademais, foi revelado que ele não poderia mais tomar seu remédio para disfunção erétil, pois não receberia visitas íntimas.

Obviamente, falamos de uma tática de humilhação de uma pessoa a tal ponto que, em alguns momentos, vemos a demonstração de que o Estado de Direito está sendo desrespeitado. Entramos no “vale tudo” em termos de política.

Os que reclamam da excessiva humilhação lançada sobre Eike argumentam que ele é diferente dos políticos tradicionais. Primeiro, por ser uma vítima das pressões dos políticos para continuar fazendo negócios. Segundo, por ser um empreendedor e gerador de riqueza, o que o colocaria em patamar superior aos políticos, que, em muitos casos, só destroem riquezas.

Ambos os argumentos são válidos, mas ignoram um fato: Eike não era apenas um empreendedor, mas um empreendedor que se aliou ao que há de pior e mais totalitário na política. Ele poderia ter “vazado” informações para derrubar os totalitários do PT muito antes. Não fez isso. Coube a nós pressionar para derrubar a tirania de Dilma. Se dependesse de aliados como Eike Batista e Marcelo Odebrecht, muito provavelmente já teríamos entrado no estágio venezuelano e vivendo como semi-escravos, para, no futuro, sermos transformados em escravos por completo, como em Cuba.

Eike Batista não pode ser moralmente perdoado por essa aliança. Todo e qualquer empresário que futuramente se associar a um socialista deve ser exposto ao público em sua monstruosidade. Mas pelo menos existe uma ironia cruel, pois Lenin disse: “Vou comprar da burguesia a corda para enforcá-la”.

Por mais que Eike tenha injetado dinheirinho no governo totalitário do PT, eles sempre o viram como um burguês que estava lhes fornecendo a corda para enforcá-lo posteriormente. É por isso que Eike Batista está preso, enquanto Lula está solto. Vale o mesmo para Marcelo Odebrecht: ele está preso, enquanto Lula está solto. Hoje Eike Batista é apenas uma camisinha usada para o PT.

Se concordo que expor a intimidade de Eike Batista após ele ter sido preso é um absurdo (em termos de Estado de Direito), igualmente sou obrigado a lembrar: Eike, foi você que ajudou a construir seu próprio destino com suas alianças. Ninguém pode dizer que ele não estava avisado. Lenin já havia feito esse aviso há mais de 100 anos.

Anúncios

13 COMMENTS

  1. Ora, praticar todo e qualquer delito pode? Vejo coisa muito estranhas nessa ordem jurídica. Ela só pode ocorrer de fato, como querem os adeptos das coisa juridicamente corretas, quando, primeiro surge uma sociedade e depois a nação que ela iniciou construir. Do contrário, há-de se instaurar um período de “limpeza da casa suja”. O Brasil é isso. Já houve muitas tentativas de “limpeza” fracassadas. Mas uma vai dar certo. Quando? Bem, não se sabe, mas que vai acontecer, vai!

  2. Concordo c a prisão do Eike…q pague pelas escolhas erradas que fez….mas ficar humilhando o cara c esta historia de implante e remedios, é baixaria e só demonstra o qto as pss são pequenas…isto é conversa de mulher safada, fofoca de quinta! O assunto é a situação do país…o caos q c certeza ele contribuiu e não usar esta baixaria p humilhar o cara! Pss baixas e n aceitam q ele foi e ainda é rico e vcs q ficam aí falando nessas baixarias só provam o qto são analfabetos

  3. Sonho o dia que algo semelhante acontecerá com muitos outros empresários no mundo inteiro. Dentre eles os donos do Facebook, Starbucks, Kellogs, Target, Globo, Grupo Folha e assim por diante. Sei que é impossível, mas ainda não se paga imposto pra sonhar…

  4. Excelente a matéria, mas discordo totalmente quando diz que Eike era um empreendedor. Não era, nunca foi. Ele era exatamente o que parece ser agora: uma fraude.

    • Ele é, ou foi, um vigarista ilusionista, tipo aqueles que vendem bilhetes premiados ou terrenos no céu. A tal mina de ouro inexistente, a maior da Colômbia, que existe apenas nas palavras desse elemento, é o retrato dele.

Deixe uma resposta