Rosa Brooks pede golpe de estado contra Trump. Ela fez parte do gabinete de Obama.

2
158

Rosa Brooks é conselheira sênior da New America Foundation, financiada pela Open Society, de George Soros. Ela atuou de 2009 a 2011 como Conselheira da Secretaria de Defesa e atuou como conselheira sênior do Departamento de Estado de Obama.

Conforme o Breitbart, em um post de blog para a Foreign Policy, Rosa propôs quatro formas de tirar Trump da presidência, incluindo declará-lo mentalmente incapaz para a função e até levar a frente um golpe de estado militar.  Seu post é intitulado “3 maneiras de tirar Trump da presidência antes de 2020”, mesmo que ela sugira quatro maneiras.

A primeira é votar em seu substituto em 2020, mas ela diz que “quatro anos é muito tempo para esperar”.  A segunda forma é um impeachment, mas ela disse que impeachment “leva tempos, como meses, ou até mais”.  A terceira forma é alegar instabilidade mental para, enfim, invocar a Emenda 25 da Constituição, que diz que o presidente pode ser removido por incapacidade de executar as funções.  Já a quarta forma é um golpe militar: “A quarta possibilidade é uma que até recentemente eu trataria com impensável nos Estados Unidos: um golpe militar, ou ao menos uma recusa dos líderes militares de obedecer certas ordens”.

Como está acontecendo com vários esquerdistas americanos no momento, estão adotando o comportamento do “é tudo ou nada” contra Trump, revelando aquilo que nós avisávamos antes das eleições: eles estavam com o objetivo de implementar o totalitarismo de esquerda nos EUA.

Anúncios

2 COMMENTS

  1. .
    Penso que este desespero, que chega mesmo à burrice, não é só frustração:

    penso que TEMEM que todo o esquema seja desmontado caso Trump venha a conhece-lo. Inclusive e SOBRETUDO isso pode levar muitos à CADEIA ou mesmo à pena capital por TRAIÇÃO.

    Tanto desespero não pode ser só uma questão ideológica por parte de gente tão influente e TÃO CONFORTÁVELMENTE INSTALADA na sociedade.

    Continuarão muito ricos e desfrutando de uma ótima vida, com ou sem Trump.
    Logo, tanto desespero soa estranho.

Deixe uma resposta