Entenda porque a desmilitarização da polícia é uma ideia nefasta contra o povo

14
178

Estão circulando pelas redes sociais, inclusive na página ultra-esquerdista Mídia Ninja, aquela que recebeu dinheiro de Soros, alguns vídeos em que policiais civis invadem o Congresso Nacional contra a Reforma da Previdência, a PEC 287. Sem entrar no mérito da questão, é preciso entender que esse tipo de conduta é intolerável, e há uma boa razão para isso.

Vivemos em um país no qual o governo tem o monopólio das armas, da violência e da segurança pública. Mesmo empresas de segurança privada possuem certas limitações. O cidadão não tem a possibilidade de lutar contra um governo tirânico, nos dias de hoje, e a situação no Espírito Santo mostra como as pessoas estão totalmente acuadas, sem qualquer chance de luta.

Esse tipo de ato praticado pelos policiais civis é, sob todos os aspectos, impensável para um militar. Os militares possuem um regimento mais rigoroso, e embora possam violá-lo tanto quanto qualquer um, a punição é maior, e portanto é muito mais arriscado. Uma política desmilitarizada seria uma instituição civil, e como tal estaria muito mais flexível para desvios de conduta.

Qualquer pessoa que já tenha servido nas Forças Armadas sabe que os desvios de conduta costumam ser punidos rigorosamente. Um soldado pode passar dias na prisão do quartel caso quebre uma regra, e há casos em que ele pode ser julgado, condenado e até expulso da tropa. O policial civil, entretanto, é diferente, ele está sujeito a normas estatutárias não tão diferentes daquelas que regem qualquer funcionário público, e por isso poderiam se voltar contra a população com muito mais facilidade, sem que esta pudesse fazer nada.

Além disso, embora as instituições militares também estejam sujeitas a corrupção – isso é óbvio, uma entidade civil é muito mais propícia a isso, por ser muito mais acessível e tem normas muito menos rigorosas. Talvez seja por estes motivos que tanto a esquerda quer desmilitarizar, para que se torne mais fácil controlá-la.

Anúncios

14 COMMENTS

  1. Uma coisa nós sabemos com certeza. O último motivo da esquerda é beneficiar a população.
    Eles querem aparelhar todo o setor de segurança pública. As forças armadas são o último bastião que esses canalhas ainda não conseguiram dominar.

    • Discordo Ben, pra mim o único motivo que a esquerda não tem é beneficiar alguém. Todas as pessoas de esquerda que conheço só são solidárias do Facebook pra dentro, mas não mechem uma palha pra ajudar alguém na vida real. São como ratos, só servem pra infestar a sociedade e atrapalhar a vida dos outros.

  2. Os objetivos são óbvios: controlar o imenso efetivo das forças policiais – acima de meio milhão de homens em todo o país, sendo mais de 100 mil apenas em São Paulo -, números muito superiores ao das Forças Armadas, de quem a polícia militar é reserva. Seria uma insanidade desmilitarizar a polícia, seria dar poder aos terror comunista e destruir o pouco que resta da segurança pública.

  3. Moro no Espirito Santo e estou horrorizada com os acontecimentos dos últimos dias. Na minha cidade as lojas foram saqueadas, porém não só pelos bandidos, foram também pessoas comuns que saíram das suas casas achando que estava “tudo liberado”. Esse é um exemplo de como seria o mundo em uma total anarquia. Sem policia para punir, pessoas que talvez jamais pensariam em furtar, estavam pelas ruas saqueando lojas e contribuindo com o vandalismo.
    Vejo também que muitos que criticavam a policia, vendo a figura do policial sempre de forma pejorativa, estavam clamando pelos militares. Onde estavam os Direitos Humanos para dar o seus discursos a favor dos bandidos?
    O Espirito Santo é o exemplo de que devemos nos posicionar contra a esquerda que quer destruir hierarquias, valores, estrutura familiar, religião e todas das bases que tem colocado a sociedade de pé.

    • Vejo que o problema no Espirito Santo foi justamente oriundo da polícia militar. Algo deveria ser feito para que isso não voltasse a acontecer, certo? Que tal uma mudança para melhorar essa polícia?

  4. a intenção da esquerda corrupta, não é só desmilitarizar a polícia, e sim, acabar com ela e criar uma polícia nos moldes das polícias políticas, como nos países de regime totalitário. Ou seja, assim como desarmaram os cidadãos civis, agora, aos poucos, desmilitarizando e tirando a força bélica da polícia, seria o ambiente perfeito para a dominação do país.

  5. A PEC, originada pelo Lindbergh e atualmente sob os cuidados do Randolf, tramita no Senado. Ela n mexe só com as polícias militares, ela atua sobre as civis também. Se a ler, Luciano, perceberá dois pontos nefastos:

    1)Haveria carreira única. Ou seja, o sujeito não mais faria concurso para chefe de polícia(delegado). TODOS que viessem a ocupar esses cargos nas delegacias seriam nomeados conforme os interesses dos políticos que mandam no Poder Executivo. Os delegados seriam meros apadrinhados políticos, muitos dos quais sem o preparo e o conhecimento necessários, e muitas vezes nomeados sob encomenda, para tão somente dirigirem inquéritos dos interesses da classe política. E essa PEC inclui também a Polícia Federal e a Rodoviária Federal….

    2) As diretrizes dos currículos das academias de polícia seriam emanadas pela União, de forma centralizada, mais ou menos como ocorre com a educação pública sendo moldada pelo MEC, só que, em vez de doutrinarem os jovens, doutrinariam as forças policiais….

  6. Você falou de militarismo sob a ótica de um civil, mas pergunte a um militar sobre o que ele acha de militarismo. Policia militar é uma instituição anacrônica, na qual existe um antagonismo entre oficiais e praças, existindo um vácuo de poder muito grande entre as duas classes. São comuns casos de soldado, cabos e sargentos sendo perseguidos pelo oficialato. E se você acha que corrupção é mais propícia de ocorrer na seara civil, provavelmente nunca vivenciou o cotidiano de um quartel da PM. Nos quartéis é comum a prática de nepotismo, peculato, tráfico de influência, furto, etc. Nenhum militar(praça) que tenha a cabeça no lugar é a favor de militarismo, pois quase todos já fomos vítimas de injustiças advindas desse sistema.

  7. O texto é altamente conservador e avesso a qualquer forma de mudança ou modernização (como se a segurança pública brasileira estivesse às “mil maravilhas”). Esqueceram de mencionar que as polícias são desmilitarizadas na maioria dos países desenvolvidos, como Estados Unidos, Inglaterra e Alemanha. À exceção de França e Itália, diversos países desenvolvidos já desmilitarizaram suas polícias nos últimos 50 anos (a maioria dos países que ainda mantém esse tipo de polícia são países de terceiro mundo como Camarões, Coréia do Norte e Togo). Além disso, o texto criticou policiais civis, mas “esqueceu” de mencionar que o caos implantado no Espírito Santo que foi feito policiais MILITARES. Teoricamente não podem fazer greve, mas o fazem usando diversos artifícios (como usar familiares para bloquear os quartéis). O soldado da PM costuma ser bastante oprimido pelos superiores, recebe baixos salários (e tem que aguentar calado por ser militar), as vezes passa a vida inteira sem sair do posto de soldado…é esse cara que lida com o cidadão, pois os oficiais costumam ficar só dentro de quartéis. Os próprios soldados e praças são favoráveis a desmilitarização. Só quem é contra são os oficiais, os únicos beneficiados pelo atual sistema.

    • Nos EUA a polícia é certamente mais eficiente que no Brasil mas como é o tratamento dado pela esquerda Norte Americana? Porcos Fascistas!!!

      A esquerda quer desmantelar a polícia e constituir uma polícia política para não só definir mas garantir que só seus opositores irão apanhar, ser presos ou coagidos. Assim como aconteceu na Alemanha Nazista, URSS, China de Mao e ainda em Cuba.

      Não tem nada a ver com a melhoria da polícia que protege o cidadão. A polícia precisa melhorar mas certamente não será com a receita da extrema esquerda.

Deixe uma resposta