UC Berkeley perde maior doador após violência censória contra Milo

5
78

A violência contra a liberdade de expressão promovida pela UC Berkeley e diversos black blocs endossados pela organização começa a ter um preço. Vale lembrar que essa é a única linguagem compreendida pela esquerda: a linguagem do dano.

Scott Adams, o criador das tiras do Dilbert – e que obteve seu MBA na UC Berkeley – decidiu abortar as doações que fazia anualmente. Detalhe: ele era o maior doador privado da organização. A informação vem do The Blaze.

Adams disse: “Falando em Hitler, estou encerrando meu apoio à UC Berkeley, onde conquistei meu MBA anos atrás. Eu tenho sido um grande apoiador nos últimos tempos, tanto em tempo como dinheiro, mas isso acaba hoje. Eu desejo boa sorte a eles, mas eu não me sinto mais seguro ou bem-vindo naquele campus”.

Ele conclui: “Eu decido me aliar com o imigrante judeu gay que tem um namorado afro-americano, e não com os garotos zumbi hipnotizados de máscaras pretas que estão agredindo pessoas com diferentes pontos de vista. Eu entendo que essa é uma posição razoável, mas eu sei que muitos iriam me perseguir ou até tentar me matar por dizer essas coisas naquele campus”.

Este é um belo exemplo da linguagem do dano, que denota uma noção fundamental na guerra política: seus adversários – principalmente se eles forem animais políticos, acostumados ao jogo – não estarão intimidados com seus pedidos de clemência. Não vão se intimidar se você dizer que a barbárie deles é absurda. Se você apontar as consequências perversas de suas ações, eles não dão a mínima.

Isso é porque eles não entendem a linguagem tradicional, geralmente imperceptível aos seus ouvidos. A única linguagem que eles entendem é a do dano. Isso quer dizer o impacto negativo que você pode trazer a eles em retaliação por qualquer coisa. Ao provocar danos – ou ao menos demonstrar seriamente quer você pode causá-los – você será, enfim, ouvido. Essa é a linguagem do dano.

Anúncios

5 COMMENTS

    • Scott apesar de ser um “reles cartunista” fez previsões muito mais certeiras que os “especialistas” em politica. Prova que a elite mundial está bestificada.

  1. Os “sociais” – sociais-democratas, internacionais-socialistas, nacionais-socialistas, trabalhistas, socialistas, et caterva – têm o discurso do ódio, que atribuem aos neo-liberais.
    E cobram dos que têm dinheiro – ganho pelo trabalho, diga-se a verdade -, o “direito à vida”, o “direito ao trabalho”, como se estes direitos tivessem nascido com eles, mas a conta deve ser paga por outrem.

    No caso de Berkeley, trata-se de uma geração que não tem a capacidade e os culhões dos Father’s Founders, são, no máximo, os Father’s Fuckers material.

    Realmente, os “sociais” só entendem a Linguagem do Dano.

    Pois, danem-se.

  2. Os verdadeiros capitalistas, não aqueles como George Soros, Fundação Ford e etc, tem de parar de financiar a mídia, universidades ou quaisquer outras instituições de viés esquerdista achando que o comunismo acabou em 1989. O comunismo está mais vivo do nunca. O “movimento comunista internacional” é anterior a criação da URSS e continua existindo mesmo após a queda desta. Este “movimento” nunca dependeu, para sua existência, do dinheiro da URSS.

  3. A URSS só tinha o poder Politico e uma mobilização sindicalista… os tais sovietes.

    Boa parte do dinheiro sempre veio de fora, estou catalogando alguns documentos e traduzindo outros.

    Mas o mais importante, é nos, consumidores, boicotarmos empresas que fazem anuncios em programas retardados de esquerda, e escrever uma carta, email, para a empresa, dizendo o porque estao parando de consumir os produtos X.

    Nos, consumidores, somos os principais financiadores dessas empresas, que por sua vez, financiam veiculos de comunicação, para aumentar seu numero de financiadores diretos.

    Compre de Taiwan, nao da China
    Compre de empresas Paraguai, ao inves do Polo de Manaus (muitas ja foram para o paraguai, onde pagarao menos impostos).

    etc etc etc

Deixe uma resposta