Papa Francisco: "Não existe terrorismo islâmico"

7
255

Na última sexta, o Papa Francisco negou a existência do terrorismo islâmico, enquanto disse que a “crise ecológica é real”. Durante um discurso ele disse: “Terrorismo islâmico não existe, terrorismo judaico não existe, terrorismo islâmico não existe. Eles não existem”. As informações são do Breitbart.

Uma análise paternal diria que ele afirmou que nem todos os cristãos são terroristas e nem todos os muçulmanos são terrorismos, o que é evidente. Porém, como sempre, as palavras do Papa são escolhidas de modo desonesto, principalmente afim de praticar a equivalência moral, já que não existem casos de terrorismo cristão e judaico, mas existem diversos casos de terrorismo embasados no islamismo.

O fato é que uma religião se destaca na promoção de violência terrorista no mundo atul: a islâmica. Mesmo assim, o Papa diz que “todas as religiões promovem a paz”.

“Existem indivíduos fundamentalistas e violentos em todos os povos e religiões – e com a generalização intolerante eles se tornam mais fortes pois se alimentam do ódio e da xenofobia”, disse o Papa, emitindo uma narrativa não confirmada pelos fatos. Por exemplo, a Russia protege mais sua cultura do que fazem os países europeus e sofre menos atentados terroristas islâmicos. Logo, a rejeição ao terrorismo islâmico não tem a ver com o aumento da violência terrorista.

No fundo, discursos de equivalência moral como estes do Papa é que servem a um fim: incentivar a violência terrorista.

Anúncios

7 COMMENTS

  1. O discurso serve para incentivar o terrorismo na maioria das vezes contra sociedades democráticas de maioria cristã. Até eu que sou ateu tenho mais amor aos cristãos do que esse papa.

  2. Lembro que um grupo religioso nos Estados Unidos pediu para o Presidente Trum investigar a escolha desse Papa. Que o Obama e várias figuras globalistas estariam envolvidos. O próprio afastamento do Papa Bento XVI foi muito estranho. O Papa argentino se posicionou do lados dos esquerdista e globalistas, agora já sem nenhum disfarce.

  3. Sugiro aos Srs. estudarem mais a historia da Igreja Catolica antes de se pronunciarem de forma caluniosa, assim como, se aterem mais aos detalhes e aos objetivos dos discursos proferidos por todos os Papas, eles sempre sao parte importante para a compreensão do discuso base.

    A auto atribuiçao da palavra Islamico aos nomes destes grupos terroristas tem por base o fortalecimento da importancia destes grupos, essa atitude tem como objetivo transmitir uma falsa ideias de que TODA a sociedade Islamica os apoiasse (e isso nao é uma verdade).

    De fato, toda religiao, tem por base a paz, porem, nos tempos atuais e com a secularização do mundo, ALGUNS seguidores de determinadas religioes se apoderam das sagradas escrituras para justificar um tipo de luta covarde contra o mundo secularizado (mas seus objetivos sao de cunho economico e de poderio).

    Nao podemos caracterizar o povo que segue o Islã como Terroristas, assim como, nao podemos dizer que todo Evangelico/Protestante é ignorante e se deixa levar pelos apelos de doaçoes absurdas feitas pelos pastores que se dizem Cristaos Protestantes….

    Nao podemos caracterizar todo alemao como Antissemítico, mas sim, podemos dizer que Guiados por um Antissemítico foi imposto ao povo a luta contra os Judeus em algum momento da historia.

Deixe uma resposta