Austria: refugiados iraquianos que praticaram estupro coletivos não serão deportados

1
103

Nove refugiados iraquianos (que procuravam asilo) foram condenados pelo estupro coletivo de uma mulher na Austria. O crime ocorreu no Reveillon de 2015 em Viena.

Os estupradores – entre 22 e 45 anos – chegaram na Austria entre Maio e Dezembro de 2015 pelos Balcãs. Na época do estupro, cinco haviam conquistado o direito de ficar. Quatro outros estavam com pedidos pendentes.

A razão para que eles não fossem deportados é que correriam risco de serem condenados à pena de morte caso fossem enviados ao Iraque.

As informações revoltantes são do site de Milo Yiannopoulos, que cita o Daily Mail.

Anúncios

1 COMMENT

Deixe uma resposta