Estadão é humilhado por Paola Carosella, do MasterChef, após matéria machista

0
763

O Estadão mentiu ao dizer que Paola Carosella, do programa MasterChef, teria sido vítima de um comentário “machista” contra ela. A matéria do jornal foi vista na coluna E+, que disse que o gaúcho Paulo Ricardo Amaral, teria feito comentários machistas contra ela e que ela o teria “respondido a altura”. Leia a narrativa criada pelo Estadão:

A nova temporada de MasterChef Brasil estreou na noite desta terça-feira, 7, e o nome de Paola Carosella já ganhou as redes sociais. A chef e jurada argentina respondeu incisivamente a comentários machistas do concorrente Paulo Ricardo Amaral.

Quando Paola se aproximou para provar o prato do gaúcho, ele a recebeu dizendo: “Paola… A prenda do MasterChef. Uma mulher linda. Uma moça linda”. Ao ouvir o comentário machista que a colocava como um objeto de deleite, a chef disse: “Uau! Muito obrigada! Eu sou a prenda!?”.

Amaral continuou sua fala. “Você é muito quista lá pro Rio Grande do Sul, pelo fato que nós somos todos carnívoros”, afirmou.

“Somos carnívoros… Eu sou carnívora também…”, disse a jurada. “Eu sou açougueiro, né, entendo bastante de corte de carnes. Então, me identifico muito com você”, afirmou o gaúcho. Foi quando a chef não se conteve mais: “Porque você é açougueiro e eu sou um pedaço de carne, né?”. O participante ficou visivelmente sem graça e apenas soltou um “mas bah, guria”.

No entanto, Paola não pareceu ter ficado profundamente irritada com Amaral. Após degustar o abacaxi na canela, frango e arroz preparado por Amara, ela se despediu dele com cortesia. “Me dá um beijo! Você é muito legal. Obrigada”, disse a argentina.

O que há de machismo aí? Claramente estamos diante de uma “fake news” do Estadão, que se complicou após Paola ter refutado toda a narrativa acima no Twitter:

12

O Estadão foi, além de tudo, machista, por querer definir que comentários são “machistas” ou não diante de uma mulher. Mas Paola é uma mulher independente e consciente de seus direitos, que saberia perfeitamente quando fosse vítima de machismo ou não. Ao querer decidir por Paola, o Estadão a desrespeitou. Mais uma vez, os fascistas culturais demonstram que os machistas são eles próprios.

Anúncios

Deixe uma resposta