Jornalista da Globo News tenta extrair discurso de "vítima" de uma engenheira e se ferra ao vivo

21
68

O vídeo que veremos ao fim deste post é sensacional.  Ali vemos um jornalista da Globo tentando avançar sua agenda no Dia das Mulheres, dizendo que elas são “vítimas de preconceito” no trabalho. O problema é que ele foi entrevistar uma engenheira que negou todas as tentativas do picareta.

No entanto, discordo daqueles que dizem que “os jornalistas erraram por viver numa bolha”.

Nada feito. Não é questão de “jornalista viver numa bolha”, mas sim de mentir deliberadamente em prol de uma agenda.

Assista:

Em resumo, não temos que derrubar jornalistas que “vivem numa bolha”. Temos que derrubar jornalistas e organizações de mídia que possuem todas as informações de que necessitam, mas escolhem mentir em nome daqueles que lhes pagam.

Advertisements
Anúncios

21 COMMENTS

  1. O jornalista já foi com o roteiro do vitimismo prontinho para ser disparado. Tentou, pelejou, persistiu, chegou ao limite da perda da compostura. Nada, desta vez não deu certo! Foi buscar lã e saiu tosqueado, com cara de tacho. Na reunião de avaliação interna, certamente levou um puxão de orelha das Globofeminazi. Com recomendaçõoes explícitas para que da próxima vez entreviste apenas as mulheres do grelo duro lulopsolistas.

    • Ele mentiu por fazer perguntas tendenciosas que partiam de pressupostos mentirosos:

      Perguntar

      “Sérgio, você já parou de roubar dinheiro da sua empresa?”

      é bem diferente de perguntar

      “Sérgio, você já roubou dinheiro da sua empresa? Se já fez, continua fazendo?”

    • Se você acha que é impossível ser tendencioso fazendo perguntas, procure assistir advogados fazendo pergunta a testemunhas durante julgamento…

    • A materia era mulheres de sucesso . Quem era a âncora do globo new? Mulheres . Quem era o repórter? Homem. Quem ganha mais âncora ou repórter? Âncora. Mas quando era William bonner e fatima Bernardes , William ganhava mais . Como disse a segunda mulher entrevistada conforme a mulher vai tendo curso superior e técnico o preconceito diminui. O preconceito não ė só por sermos mulheres e sim a classe social. Quem ia para as fábricas antes da evolução industrial eram mulheres pobres com seus filhos . A creche foi inventada quando outras mulheres de classes sociais melhor começaram a trabalhar fora de casa. Quando engenharia so era coisa de homem os engenheiros ganhavam 20 mil agora que mulheres entraram no mercado de trabalho engenheiros ganham 10 mil . Na empresa que uma amiga trabalha ela era estagiária e seu chefe mandava ela fazer todo o serviço dele e ela fazia . Ele tirou férias e ela ficou no seu lugar , sem estagiária. Fez todas suas obrigações e teve melhor desempenho que aquele cara de anos de experiência com salário altíssimo. Ele votou de férias e foi demitido e ela no lugar dele . Salário o mesmo ? Não. Mas quando derem ela vai ser promovida. Homens ganham o teto , mulheres ganham o piso . Só que mulher vai reclamar ? Isso ė falta de ética. E tem outras mulheres e homens aceitando um salário menor.

      • De onde vc tirou isso? Site uma única empresa que ofereça salários diferentes para mulheres… Um homem poderia ser mais eficiente que outro e aceitar um salário menor… isso é livre mercado… você cede seu tempo e recebe o que acha justo… se acha que vale menos…aceita menos… se acha que vale mais aceita mais…independente de cromossosmos..

  2. Ao amigo ai de cima que disse que o repórter pegou a pessoa errada eu digo: ele pegou a pessoa certa, a mais certa, o melhor exemplo de evolução necessária.

  3. Como se diz aqui no interior estão fazendo uma “tempestade em copo d’agua” . Eu sou jornalista, antes da matéria ir ao ar, no caso dessa reportagem, antes da entrevista ao vivo é feito um trabalho de apuração do repórter com a pessoa que é entrevistada. Então tudo que ela falou ao vivo ela já deveria ter falado para o repórter. Até antes de o repórter ir a loco checar e entrevistar, alguém da produção do Jornal entra em contato com a pessoa que será entrevistada e faz uma sondagem. Então é provável que a Engenheira tenha sido escolhida pra entrevista justamente por conta do posicionamento que ela tem. Não vi a reportagem completa para poder opinar, mas parece que a pauta era justamente mostrar esse falso vitimismo e que o mercado está mais receptivo as mulheres.

  4. Pessoal, nao acho que o cara estava pre-condicionado, na verdade todos tem uma serie de duvidas com relação ao trabalho feminino, principalmente num ambiente onde tradicionalmente era habitado por homens, como na construção civil. Acontece que o mundo vem mudando e as mulheres estão ingressando em nichos de trabalho que eram de domínio quase total de homens e vem ocupando os espaços com muita competencia e principalmente com profissionalismo. Acho que a maioria aqui queria ver ela se queixando de machismo e falta de respeito, por isso a frustração em ver as perguntas do repórter sendo respondidas de maneira serena e até obvia nos dias de hoje.

  5. Se agente estoura a “bolha” dos jornalistas, vai ser só para eles arrumarem um jeito melhor para mentir. Como se pode ver, a narrativa é tudo mentira, mulher tem muito mais privilégios que homens na sociedade, o pessoal não percebe por que os homens não gostam de reclamar nem possuem ajuda financeira de corporações trilionarias como a fundação da familia Rockefeller.

Deixe uma resposta