Estudante esquerdista dos EUA diz que consumir leite é racismo

6
107

Uma estudante adepto do fascismo cultural na Universidade Estatual da California escreveu um artigo dizendo que o leite é um simbolo do racismo e nacionalismo branco. A dica vem do site de Milo Yiannopoulos.

Samantha Diaz, que escreve para o blog Teh Daily 49er, disse que seus amigos todos sofrem lavagem cerebral para acreditarem que o leite é apenas uma bebida que as pessoas consomem para fortalecer seus ossos. Mas para ela é um símbolo de ódio no qual muitas pessoas não prestam atenção. O artigo é “Milk new symbol of hate?”, para que vocês não digam que estou zoando ou publicando “fake news”.

Ela afirma: “Se você não consegue encontrar a conexão entre essas instituições e o leite, você não está sozinho. Você, junto com o restante da nação, está tão acostumado a ouvir sobre os benefícios do leite que não deve ter notado o racismo sutil escondido nos fatos sobre a saúde”.

Segundo ela, o leite não é benéfico para a saúde, mas seu consumo tem sido incentivado pelo governo apenas por questões raciais. Ela afirma que os negros possuem menos osteoporose que os brancos, dizendo que os últimos são impactados pelo maior consumo de cálcio. Ué, que racismo é esse que prejudicaria principalmente os brancos?

Anúncios

6 COMMENTS

  1. Começou muito bem o texto com: “White nationalists and neo-nazis using milk as form of racial supremacy.”
    Seria este uma vertente do ‘everyone i don’t like is Hitler’?

  2. Luciano, quem toma leite ingere Cálcio e previne a osteoporose. O que a autora do artigo, provavelmente branca, quer é que não se propaguem práticas que beneficiem mais brancos do que negros. Mas o contrário tb ocorre, negros são mais suscetíveis a hipertensão. Então pregar práticas que previnam a hipertensão seria racismo contra brancos. Resumindo, é uma débil mental de nascença que ainda sofreu dos malefícios da doutrinação comunista. O cérebro dela tá moído.

Deixe uma resposta