Masoquismo político de Temer foi tanto que Dilma não aturou e o chamou de "fraco e medroso"

2
158

Uma análise adulta da política nos faz entender o seguinte: políticos profissionais só entendem a linguagem do dano. Eles não compreendem outra linguagem. Estava difícil aturar o masoquismo político de Temer, tanto que já não dava mais para apoia-lo. É difícil saber quem gosta mais de apanhar: se o Aécio Neves da campanha de 2014 ou o Michel Temer de 2016 em diante. É o contrário do template de Trump, que nos ensina: “bateu, levou”.

Michel Temer adota a postura do frouxo que diz: “Bateu? Pode bater mais que está gostoso!”. Foi aí que Dilma entendeu a lição e recompensou Temer por sua frouxidão, conforme uma entrevista ao Valor Econômico. Ela disse:

“Não acho que é relevante fazer fofoca, conversinha. Posso contar mil coisas do Padilha e do Temer, então? Porque o Temer é isso que está aí, querida. Não adianta toda a mídia falar que ele é habilidoso. Temer é um cara frágil. Extremamente frágil. Fraco. Medroso. Completamente medroso. Padilha não é. A hora em que ele [Temer] começa assim[em pé, mostra as mãos em sentido contrário, com os dedos apertados em forma de gancho]. É um cara que não enfrenta nada!“

Este é o prêmio do frouxo. Ele vai ser chamado de “fraco e medroso”. Ele precisa começar a agir como uma pessoa adulta em político. É preciso rotular a inimiga. É preciso chamá-la de desonrada, totalitária, apoiadora de ditaduras, cínica e covarde, e daí pra diante. Senão o que resta é isto mesmo: ser chamado de fraco e medroso, sendo humilhado em público e visto com desprezo por uns e pena por outros. Patético.

Se Temer quiser, ele tem a faca e o queijo na mão para humilhar Dilma a ponto de desmontá-la por completo. Mas é preciso de atitude para isso.

É preciso que comecemos a exigir dos políticos que apoiemos: “Chega de frouxidão na política. Isso é não é coisa de gente honrada!”.

No fundo, devíamos fazer como alguns pais ensinavam os filhos: “Apanhou fora de casa? Apanha em casa também!”. Temer precisa começar a ter medo de nós antes de começar a tratar Dilma como deveria.

Anúncios

2 COMMENTS

  1. Ate concordo com você que é muito melhor apoiar um político que honra o voto recebido e não faz seu eleitor passar vergonha, como Trump, do que um frouxo como Aecio. Mas entre Dilma e Temer ele acabou rindo por último. A ela não resta mais nada a não ser ficar fazendo malcriação pela imprensa. A grande lambanca do PMDB, e do Temer por tabela, em relação à Dilma, foi ter preservado os direitos políticos dessa sem vergonha. Isso não tem perdão. Ela está praticamente em campanha eleitoral e ele pagando o preço por ter poupado a bandida.

Deixe uma resposta