Elogio de Delfim Netto a Karl Marx prova que ele nunca gostou mesmo de democracia

2
101

Conforme a Veja, o ex-ministro da Fazenda da ditadura militar, Delfim Netto fez elogios a Karl Marx, pai do comunismo, durante entrevista ao site da Fundação Vanzolini, de São Paulo.

Delfim disse que a tecnologia vai liberar a humanidade do trabalho. “Como dizia o velho Marx, um dia ele vai ser poeta, outro pescador, noutro vai namorar. O homem precisa de tempo”, disse.

No fundo, isso é apenas a promessa de uma utopia para amealhar os frutos desta enrolação: conseguir dominar os outros implementando uma ditadura.

Ele já viveu numa boa como ministro de uma ditadura (que não era marxista). Agora parece que ele quer ainda mais ditadura. Para isso precisa do marxismo.

 

Anúncios

2 COMMENTS

  1. “Delfim disse que a tecnologia vai liberar a humanidade do trabalho”.

    – Delfim acha que trabalhar é ruim.
    – Delfim quer que a tecnologia faça mais desempregados (ou alguém acha mesmo que dá para sustentar uma humanidade que não trabalha?)
    – Delfim apoia o Estado máximo (ou alguém acha que empresas particulares que não precisam de funcionários vão sustentar vagabundos?)

    Isso é só para começar os frames.

  2. Esse gorducho pilantra devia ser enforcado pelos desastres que fez quando era ministro da Fazenda. E explicar sobre as propinas que recebeu nas negociações da dívida externa. Mas ninguém cobra nada do gordo, né. Afinal, há anos que puxa o saco dos esquerdistas, inclusive do bêbado ladrão barranqueador de cabritas.

Deixe uma resposta