Parte da direita “pira” de vez e torce para Janot na guerra de declarações lacradoras contra Gilmar

21
102

A cada dia que passa, uma direita confusa se esmera em dar shows do bizarro no que tange à conscientização política. Fica a clara impressão de que quase ninguém sabe por que está de fato lutando.

Vamos avaliar uma situação grotesca na atual guerra de declarações lacradoras entre Gilmar Mendes e Rodrigo Janot. Uma declaração lacradora é aquela feita para ridicularizar, desmoralizar e/ou desestabilizar de qualquer forma um inimigo.

Pauladas de Gilmar

Depois da Operação Carne Fraca, o ministro do STF Gilmar Mendes desceu o relho na PF por esta ter fornecido a imprensa informações de processo sigilosos de forma indevida. Segundo ele, os vazamentos são desmoralizantes: “Quando praticado por funcionário público, vazamento é eufemismo para um crime que os procuradores certamente não desconhecem. A violação do sigilo está no artigo 325 do Código Penal. Mais grave é que a notícia dá conta dessa prática dentro da estrutura da PGR. Isso é constrangedor”.

Ele requereu investigação sobre os vazamentos: “Se determinados documentos estão sob sigilo e se se inicia o vazamento sistêmico, como aqui está noticiado, trata-se de desmoralização desta corte. Não preciso lembrar que se trata de crime, que certamente será cuidado pela Procuradoria, ou não, por se tratar de vício de caráter corporativo.”

Também cobrou que a PGR viesse a público explica os vazamentos: “Não haverá justiça com procedimentos à margem da lei. As investigações devem ter por objetivo produzir provas, não entreter a opinião pública ou demonstrar autoridade. Quem quiser cavalgar escândalo porque está investido do poder de investigação está abusando do seu poder e isso precisa ser dito em bom tom”.

Avaliando as coisas por um prisma do óbvio, ele disse que a divulgação indevida de conteúdo sigiloso de forma seletiva tem o objetivo de destruir a vida de políticos escolhidos pelos investigadores: “Mas é claro que isso tem um propósito destrutivo, como acabam de fazer com o ministro da Justiça, ao dizer que ele deu um telefonema para uma autoridade envolvida nesses escândalos. É uma forma de chantagem implícita, ou explícita. É uma desmoralização da autoridade pública”.

Como a PGR estava sob questionamento, Gilmar ainda disse: “A mídia não estaria divulgando esses nomes se não tivessem sido fornecidos. Eu não vou acreditar que a mídia teve acesso aos nomes em uma sessão espírita.

Tudo isso é apenas o óbvio. Ele apenas citou a lei. Mesmo assim, suas declarações foram interpretadas como uma “paulada” no STF.

Pauladas de Janot

Em vez de refutar Gilmar, Rodrigo Janot partiu para o ataque ad hominem: “Não vi uma só palavra de quem teve uma disenteria verbal a se pronunciar sobre essa imputação o Palácio do Planalto, Congresso Nacional e Supremo Tribunal Federal. Só posso atribuir tal ideia a mentes ociosas e dadas a devaneios. Mas infelizmente com meios para distorcer fatos e instrumentos legítimos de comunicação institucional — disse o procurador-geral no encerramento de encontro de procuradores regionais eleitorais na Escola Superior do Ministério Público.”

Janot não teve coragem de denunciar o nome de Gilmar, mas suas referências foram feitas para não deixar dúvida quanto ao alvo das críticas.

O PGR prossegue: “Ainda assim, meus amigos, em projeção mental, alguns tentam nivelar a todos a sua decrepitude moral e para isso acusam nos de condutas que lhes são próprias socorrendo, não raras vezes, da aparente intangibilidade proporcionada pela eventual posição que ocupa na estrutura do Estado”.

Como sempre saindo fora de sua alçada, Janot ainda quis meter o bedelho no sistema eleitoral: “ Nosso sistema político-partidário foi conspurcado e precisa urgentemente de reformas. É necessário abrir espaço para a renovação o quanto antes, pois a política não pode continuar a ser uma custosa atividade de risco propícia para aventureiros sem escrúpulos.”

Ora, se ele quer mudar o sistema político-partidário, por que não se candidata a deputado, senador ou a qualquer outro cargo? Não é da função do Janot definir como deve ser a política. Ele faz parte de um dos poderes (o Judiciário). Logo, não tem moral alguma para dizer como deveria ser um outro poder.

Seja lá como for, é evidente que Janot não refutou Gilmar em absolutamente nada. Mas o uso do termo “disenteria verbal” permitiu que muitas pessoas comemorassem sua resposta como troféu. Pior: as comemorações vinham, algumas vezes, por parte de alguns direitistas.

Confusão na direita

A direita brasileira está tão confusa que tem muito direitista torcendo por Janot nessa guerra de declarações lacradoras contra Gilmar Mendes. Detalhe: Janot está comprometido com o projeto totalitário de poder da extrema-esquerda, foi nomeado por petistas e tem como especialidade ser seletivo nos processos, sempre garantindo que os petistas estejam em menor quantidade nas listinhas. É o fim da picada…

Qual a origem de tal loucura?

A explicação desta vez é bem simples: Janot está criando a imagem pública de ser uma pessoa “do lado da Lava Jato”. Logo, qualquer pessoa que critique algum aspecto técnico desta operação ou de outra operação será definido como “inimigo da Lava Jato” ou “inimigo da PF”. E olhe que no caso estamos falando da Operação Carne Fraca.

Com isso, até menos um passador geral de régua – que vive salvando a vida de petistas – consegue se sair bem.

Num momento em que o apoio à Lava Jato deixa de ser um apoio racional – incentivando o que é certo, e criticando o que é errado ou não funciona -, para se tornar culto psicótico, era óbvio que a extrema-esquerda iria aproveitar.

Só isso explica ver gente de direita apoiando Rodrigo Janot. É deprimente…

Anúncios

21 COMMENTS

  1. O site do Ministério Público Federal [http://www2.pgr.mpf.gov.br/o_mpf/sobre_o_mpf] é simples e direto:

    “O Ministério Público não faz parte de nenhum dos três Poderes – Executivo, Legislativo e Judiciário. O MP possui autonomia na estrutura do Estado, não pode ser extinto ou ter as atribuições repassadas a outra instituição. Os procuradores e promotores têm a independência funcional assegurada pela Constituição. Assim, estão subordinados a um chefe apenas em termos administrativos, mas cada membro é livre para atuar segundo sua consciência e suas convicções, baseado na lei. Os procuradores e promotores podem tanto defender os cidadãos contra eventuais abusos e omissões do Poder Público quanto defender o patrimônio público contra ataques de particulares de má-fé.”

  2. Janot é um safado. Ele recusou a delação de Léo Pinheiro, que ferrava de vez o Lula, alegando vazamento. E ele agora promove vazamentos seletivos para ferrar políticos não petistas. É um canalha a serviço do PT. Gilmar Mendes, pelo contrário, só disse o óbvio e por isso tem meu respeito.
    É uma pena ver como são trouxas a maioria dos comentaristas do site Antagonista, atacando o Gilmar Mendes e babando no ovo desse pilantra Janot.

    • O Janot é não vale o ar que respira, fisiologista safado e tão descarado quanto o Renan Calheiros, não há dúvida nisso. Sempre fez e fará jogo duplo, na medida que isso lhe convier. Agora, o Gilmar Mendes defende abertamente o VOTO EM LISTA FECHADA e a ANISTIA AO CAIXA DOIS! Acho muito curioso que o Luciano Fale dos podres de um mas não os do outro…
      E, se o Moro não houvesse “vazado” a escuta telefônica, onde a Dilma anuncia que está enviando o “Bessias” com o “termo de posse” para o sapo barbudo, o Lula teria se consolidado como Ministro e hoje JÁ SERIAMOS UMA NOVA Venezuela!
      Pensem nisso, antes de bancarem os papagaios de pirata e bradarem contra os “vazamentos seletivos”…

  3. Hoje pela primeira vez vim até aqui e principiando a ler o referido a Janot e Gilmar Mendes, pareceu-me inicialmente que o portal é sério e amigo do bom senso e verdades, porém na continuidade vi o ataque explicito e claro contra Janot e defesa do desonesto e maldoso Gilmar Mendes, um socialista/Fabiano; fiquei desapontado no final ao constatar tamanha cara de pau do “Ceticismo Político” e a evidente tendencia de convicções “vermelhas”.

  4. Essa história de vazamento tem sim que ser apurada, mas não pelos motivos que a maioria pensa. É só prestar atenção na própria operação carne fraca:

    “Se a PF investiga por 2 anos e não vaza nada, porque vaza na hora de fazer a operação?”

    Tá certo que houve problemas com essa operação, mas reflita isso para a condução coercitiva do Lula:

    “Se a PF investiga por e não vaza nada, porque vaza na hora de fazer a condução coercitiva?”

    Está ficando claro que o vazamento se dá na “porta de saída”, e não “dentro” da PF.

  5. Janot fez, o quanto pode, o jogo do PT. mas est[a cada vez mais engessado na função . Gilmar Mendes faz, o quanto pode, o jogo dos tucanos (e, por extensão, do PMDB), e se mostra cada vez masi livre nos seus movimentos políticos contra a Lava Jato.

    Prefiro, então, apoiar o Janot. Tucanaldo Azevedo e outros jornalistas.e blogueiros de bico longo preferem apoiar Gilmar Mendes.

  6. Gilmar Mende, no Estadão:

    “O Congresso tem aprovado várias anistias. O Congresso votou a anistia da repatriação, que fez com que muita gente trouxesse dinheiro de fora, e ninguém está dizendo que essa anistia é inconstitucional. Esse do caixa dois é um debate que tem que se travar num momento oportuno”

    Tucanão! Pau nele, Janot!

  7. Tudo bem que janot não é confiável,mas Gilmar está abusando em defender as piores causas,juiz defendendo anistia a caixa 2,e nos jornais,é um pouco demais.

  8. O Gilmar Mendes realmente está queimando o filme. Ele é juiz da Suprema Corte. Não tinha que ficar se metendo num assunto desses, que ainda vai ser votado no Congresso e que, depois sim, será discutido no STF. Tá sendo muito burro e cavando a própria sepultura. Lamento.

  9. Gilmar Mendes estaria certo se estivesse se limitando a criticar vazamentos. Mas a partir do momento em que acena para a impunidade através da anulação de depoimentos que vazaram, ele passa a merecer todo e qualquer ataque que se faça contra ele. Não que Janot seja flor que se cheire. Mas Gilmar é sem dúvida a maior ameaça hoje em dia.

  10. Finalmente uma análise inteligente dos fatos e realidade. Deprimente é assistir a militância de esquerda cavalgar a de direita. Devem estar rindo muito da manada tão fácil de pastorear. Quanto ao Gilmar só deixou claro que os tais vazamentos além de ilegais e seletivos servem a intimidação, chantagens e abuso de poder. Aff!

  11. Eu ando sempre com um pé atrás em relação ao Ceticismo Político. Sempre analisando se são da direita ou Tucanos disfarçados. E essa matéria tem um forte indício da resposta.
    EM NENHUM MOMENTO O AUTOR DA MATÉRIA fala sobre as DECLARAÇÕES DO GILMAR MENDES DE ANULAR OS DEPOIMENTOS vazados.
    Ao que parece, o autor da matéria cria uma atmosfera de apoio ao Gilmar, sem mencionar o verdadeiro interesse, que é o de anular provas coletadas licitamente.
    Muitíssimo estranho o autor da matéria não ter feito nenhuma menção a essa questão…
    Galera, pé atrás com esse site.

  12. E a mesma direita que crucifca Gilmar e se alunha a Janot esquece que o próprio Janot que anulou a delação de Leo Pinheiro que incriminava Lula por conta de vazamento. Para o MPF, com vazamento de informação, houve quebra de confidencialidade

  13. Esse Plínio aí deve ser o próprio Luciano Ayan.
    E aí Luciano, explica para a galera qual o motivo de você ter OCULTADO que o Gilmar Mendes quer a anulação das delações (e consequentemente a das provas que dela derivem) ?
    Você não tem culhões para responder.

  14. Só uma informação, Luciano. O Ministério Público não integra o Poder Judiciário. É um órgão vinculado ao Poder Executivo – mas independente deste – que atua perante o Judiciário. Ocorre que na Constituição de 1988 se deu tanto poder e tanta independência ao MP, que este passou a ser quase um quarto poder da República, mas sem ter formalmente tal status.

  15. O que eu vejo é que existe uma grave briga dos poderes das instituições e dentro das instituições , cada um quer mostrar mais seus poderes , coisas de país sem república sem um governo firme , é muito notório isso que cada um fala uma coisa opinando a favor do seu gosto partidário ,

  16. Daniele Nascimento, responder no seu nível (baixo) realmente não dá. Além do mais você viaja acreditando que eu e o tal Luciano somos a mesma pessoa. Loka! Quanto a fala de Gilmar de anular delações não passou de ameaça até porque ele sozinho não tem poder pra isso Aprende! Aliás, você Daniele não é muito chegada na legislação vigente, a parte mais importante do discurso de gilmar, a violação da lei por funcionário público. Com esse seu desapreço pelas leis chego a desconfiar que você é petista

    • Você simplesmente nada falou sobre a omissão desse detalhe (ameaça de anular as delações)… Acha que o Luciano se esqueceu ou que achou que se trata de apenas uma ameaça? GIlmar não consegue fazer nada sozinho, né? O problema é que de que lado você acha que o Toffoli vai ficar, o Lewandovsky, o Marco Aurelio, Carmem Lúcia, Fux…. etc… Gilmar só precisa de mais 5, que concordem com essa “ameaça”, para colocar no chão TODAS AS DELAÇÕES PREMIADAS QUE FORAM VAZADAS. Você desconfia que sou petista. E eu desconfio que você e o Luciano (que são a mesma pessoa) são PSDBistas. E vc não vai refutar o argumento… vai ficar só rodeando… Te peguei LucianoTucano.

  17. Prezado Ceticismo Político:

    Veja, em O Antagonista, a que ponto chegou o atrevimento, a arrogãncia e a desfaçatez da bandalha pró-ORCRIM:

    Ciro Gomes: o vídeo em que ameaça atirar em Moro e “sua turma”

    Achamos o vídeo em que Ciro Gomes ameaça receber “a turma de Moro” à bala, se tiver sua prisão decretada. Assista, por favor.

    É o lado mais torpe e obscuro de uma crescente oposição às ações da PF, do MP e da Lava Jato, oposição esta que congrega políticos como Lula da Silva, Renan Calheiros e Edson Lobão, governantes como Michel Temer, juizes como Gilmar Mendes, blogueiros como Reinaldo de Azevedo e muitos outros personagens, sempre sob a alegação de que estão “defendendo a constitucionalidade”.

    A coisa está ficando feia. Acorda, Brasil!

Deixe uma resposta