Ciro Gomes usa tese dos paternalistas de direita e diz que Dilma foi "tonta"

3
176

Ciro Gomes não é besta. Ele sabe como utilizar inclusive a direita paternalista a seu favor.

Em uma palestra no congresso da Associação de Estudantes Brasileiros no Exterior (Brasa), na Universidade de Pensilvânia, nos Estados Unidos, ele disse que Dilma é uma “pessoa honrada que sofreu um golpe”, mas que perdeu o cargo também por incompetência.

“Foram as duas coisas. Eu não sei porque na sua cabeça essas situações se manifestaram como antagônicas”, declarou ao debater.

Segundo ele, Dilma “não compreendeu o que acontecia à sua volta”: “Houve uma fratura que explodiu politicamente na ruptura da democracia brasileira com a queda da Dilma, penso eu e eu estou disponível a discutir, que não entendeu nada do que estava acontecendo e resolveu abordar o assunto com marquetagem e fuleragem de renúncia fiscal do seu Guido Mantega. Passou um avião por cima dela com quatro asas e três pneus e até hoje ela está tonta para entender o que aconteceu”.

O direitismo paternalista criou a tese do “erro” dos socialistas. Fazem isso por vários motivos, inclusive o de se sentirem bem por terem “a melhor teoria”. Recusam-se a visualizar o inimigo como ele realmente é. A partir daí, narram o oponente como um “enganado”, e não como alguém que destrói intencionalmente a economia em prol de projetos totalitários de poder. Paternalistas chegam a dizer que Nicolas Maduro é apenas “equivocado na economia”.

Porém, todo fraudador possui dois modos de operação: (1) ser beneficiado pela fraude, (2) se descoberto, convencer os outros de ter cometido “um erro”. O paternalismo de direita alimenta o segundo padrão do fraudador, sendo, por vezes, um esquerdismo de segunda mão.

Ciro Gomes apenas está usando esse tipo de discurso para beneficiar Dilma, ao fingir que ela “cometeu erros”, em vez de apontar os fatos: ela destruiu intencionalmente nossa economia. Bobo ele não é.

Anúncios

3 COMMENTS

Deixe uma resposta