Petistas tentaram chantagear Cunha para que Dilma escapasse do impeachment, diz Temer

2
97

Temer deu uma entrevista ao vivo à Band na noite deste sábado (15), Michel Temer contou que petistas tentaram chantagear Eduardo Cunha – oferecendo votos no Conselho de Ética da Câmara – para que ele tentasse segurar o impeachment de Dilma:

Em uma ocasião, ele [Eduardo Cunha] foi me procurar.

Ele me disse ‘vou arquivar todos os pedidos de impeachment da presidente, porque prometeram-me os três votos do PT no conselho de ética’. Eu disse que era muito bom, porque assim acabava com essa história de que ele estava na oposição. (…) naquele dia eu disse a ela [Dima] ‘presidente, pode ficar tranquila, o Eduardo Cunha me disse que vai arquivar todos os processos d impedimento’. Ela ficou muito contente e foi bem tranquila para a reunião.

No dia seguinte, eu vejo logo o noticiário dizendo que o presidente do PT e os três membros do partido se insurgiam contra aquela fala e votariam contra [Cunha no Conselho de Ética]. Mais tarde, ele me ligou e disse ‘tudo aquilo que eu disse, não vale, vou chamar a imprensa e vou dar início ao processo de impedimento “.

Que coisa curiosa! Se o PT tivesse votado nele naquele comitê de ética, seria muito provável que a senhora presidente continuasse.

E quando eu conto isso eu conto para revelar, primeiro, que ele não fez o impedimento por minha causa. E, segundo, que eu não militei para derrubar a presidente.

Em essência, Temer contou que petistas praticaram desvio de finalidade no uso de seus cargos – e se Dilma autorizou isso, ela também fez o mesmo – para evitar o processo legal de impeachment. Ou seja, eles queriam que os crimes fiscais de Dilma fossem ignorados em troca de votos no Conselho de Ética.

Assista:

Anúncios

2 COMMENTS

  1. Esse Temer mostra bem porque essa gente tem que corromper os outros, seja com dinheiro de empreiteiras, seja com cargos: sem essa tática, dificilmente esses asnos teriam algum destaque. Pessoalmente, eu apoio que o Temer fique até o final do mandato e que tente emplacar o que der da reforma previdenciária. Mas ainda assim, considero ele um homem insignificante politicamente. Sua popularidade ridícula é fruto do espancamento diário que ele recebe do PT. E aí, ele me vem com essa histórinha sem pé nem cabeça.

    Eu acompanhei passo a passo o impeachment, e acho que o Temer mentiu nessa. Quando Cunha aceitou o impeachment, a situação de Dilma já estava muito deteriorada, a economia também, e ela esta envolta com a Lava Jato. O que eu conheço do impeachment é que o Cunha arquivou todos os outros processos porque já estava decidido que o processo de Hélio Bicudo e Janaína Pascoal seria o aceito, uma vez que era o melhor formulado, e que abrangia apenas as pedaladas, evitando ser anulado pela porcaria da regra de que presidente não pode ser acusado por fator estranho ao seu mandato.

    A ideia original seria arquivar inclusive o processo do Hélio Bicudo e Janaina Pascoal, para que o plenário o resgatasse por votação simples. Tudo isso já estava acertado com as bancadas que aceitaram o impeachment. Talvez o desvio de Cunha tenha sido fugir do script e simplesmente aceito esse processo, mas já não faria diferença. À aquela altura, o processo já estava pronto para explodir.

  2. Cunha tinha o poder de não aceitar, o STF lhe deu isso em liminar da Rosa Weber….ele até tentou jogar a decisão para plenario, mas resolveu decidir sozinho dado o poder que o STF lhe deu. O impeachment brasileiro é um voto de confianca parlamentarista, dai a burrice de se dizer golpe parlamentar (ou todos os governos parlamentaritas seriam golpistas). Golpes tomam o executivo e calam judiciário e legislativo, não o contrário.

Deixe uma resposta