Nota de Temer sobre a "greve" fracassada é uma afronta às vítimas da violência

5
289

Como a greve fracassou, Temer optou por não dar um pronunciamento a respeito, mas emitiu uma nota que termina de modo razoável mas começa lamentavelmente. Vamos a ela:

As manifestações políticas convocadas para esta sexta-feira ocorreram livremente em todo país. Houve a mais ampla garantia ao direito de expressão, mesmo nas menores aglomerações.

Não teve nada de “manifestações” democráticas. Foram atos específicos de violência para coagir trabalhadores livres. Não se pode utilizar eufemismo. Temer deveria mencionar apenas os bandidos que fecharam vias e agrediram cidadãos. Ignorar este assunto é o fim da picada.

Infelizmente, pequenos grupos bloquearam rodovias e avenidas para impedir o direito de ir e vir do cidadão, que acabou impossibilitado de chegar ao seu local de trabalho ou de transitar livremente. Fatos isolados de violência também foram registrados, como os lamentáveis e graves incidentes ocorridos no Rio de Janeiro.

E em sua função de presidente, e já que estes atos foram antecipadamente anunciados nas redes sociais, por que o senhor não tomou uma ação sequer para proteger os trabalhadores? Por que o Exército não foi ativado para que as pessoas pudessem chegar ao seu local de trabalho? Se o Exército não pode ser ativado nem para proteger o cidadão de grupos paramilitares inimigos da nação, então serve para que? Quer dizer que se na próxima as milícias bolivarianas decidirem estuprar centenas de mulheres, em estilo Estado Islâmico, também vão poder fazer? Virou o país em que os petistas podem quebrar as leis e praticar atos terroristas à vontade? Pegou muito mal a omissão. Muito mal mesmo…

O governo federal reafirma seu compromisso com a democracia e com as instituições brasileiras.

Poderia ao menos ter feito algo para garantir a segurança dos trabalhadores e não deixar que eles fossem impedidos de trabalhar e que nenhuma via fosse bloqueada. Isso aqui é um país ou é uma republiqueta? Não há desculpa para o que aconteceu…

O trabalho em prol da modernização da legislação nacional continuará, com debate amplo e franco, realizado na arena adequada para essa discussão, que é o Congresso Nacional. De forma ordeira e obstinada, o trabalhador brasileiro luta intensamente nos últimos meses para superar a maior recessão econômica que o país já enfrentou em sua história. A esse esforço se somam todas as ações do governo, que acredita na força da unidade de nosso país para vencer a crise que herdamos e trazer o Brasil de volta aos trilhos do desenvolvimento social e do crescimento econômico.

Ao menos o que se espera é que as reformas sejam aprovadas, especialmente a reforma trabalhista (também no Senado), e, acima de tudo, a extinção do imposto sindical. O que as milícias pró-PT fizeram hoje não pode ser perdoado. Por parte de Temer, ter deixado os trabalhadores sofrerem nas mãos dessas milícias (que fizeram o que quiseram) também é algo que vai gerar muito rancor por parte dos trabalhadores honestos.

É hora de Temer começar a se posicionar. Deixar o povo honesto ser atacado por milícias e não acontecer absolutamente nada com essas milícias é uma ofensa aos pagadores de impostos. O povo exige uma atitude de Temer para que ele se redima da omissão praticada hoje. Isso se a redenção for possível…

Anúncios

5 COMMENTS

  1. Greve geral onde???O que vimos nas ruas como sempre foi a cut nas ruas,quebrando tudo bancos telefones públicos saqueando lojas colocando fogos nos ônibus. Veja só que bando de covardes batendo nas pessoas que só queriam passar para trabalhar….Que lástima esses covardes da cut.

Deixe uma resposta