Novo projeto de lei do Partido republicano pede punição a estudantes e universidades que violarem livre expressão

1
126

Legisladores do Winsconsin do Partido Republicano estão propondo uma lei que pode expulsar estudantes de universidades públicas que provocarem disrupção em palestras e outras formas de expressão. A proposta também força as universidades a manter uma posição neutra a respeito de palestrantes que são convidados aos campi.

A proposta foi modelada após uma proposta criada pelo Instituto Goldwater (conservador) para endereçar problemas recentes envolvendo a proibição da livre expressão nos campi. Os patrocinadores da lei disseram que ela representa a promessa republicana de “proteger a liberdade de expressão nos campi”.

“Por toda a nação temos observado manifestantes tentando silenciar diferentes pontos de vista”, disse o parlamentar Robin Vos, de Winsconsin, um dos patrocinadores da lei: “Liberdade de expressão significa liberdade de expressão para todos e não apenas para aqueles que gritam mais alto”.

Um responsável pela universidade de Winsconsin, John Lewis, disse que a escola já possui uma política que facilita a objetividade da livre expressão, e que aprovar a lei iria coibir a ação do comitê disciplinar da universidade de considerar todas as circunstâncias de cada caso.

O diretor executivo do grupo de pressão esquerdista One Wisconsin Now disse que os autores da proposta são “frágeis flocos de neve”, afirmando que “estes republicanos querem transformar nossos campi em espaços seguros para republicanos ficarem livres de crítica e sujeitar estudantes a sanções legais se eles se expressarem”.

Notaram a semelhança da inversão da realidade que a esquerda faz nos EUA com o que a extrema-esquerda brasileira diz em relação ao Escola sem Partido? Ou seja, se você pede por direito a se expressar, eles fingirão que você quer proibi-los de se expressar. Quer dizer: se expressar, para eles, é proibir os outros de se expressarem impunemente.

No ano passado na Universidade de Wisconsin, em Madison, o autor conservador Ben Shapiro fazia uma palestra quando um grupo de extrema-esquerda o interrompeu e começou a gritar “segurança” por causa de sua presença.

“A razão pela qual essas pessoas não foram presas decorreu da decisão da administração… que alegou que se eles chamassem os policiais e prendessem esses estudantes,  iriam cancelar todo o evento”, explicou Shapiro.

“Ficamos por imaginar se a administração daria o mesmo tipo de privilégio a quaisquer conservadores que decidissem fazer o mesmo a um evento esquerdista”, adicionou Shapiro.

Anúncios

1 COMMENT

  1. “Ficamos por imaginar se a administração daria o mesmo tipo de privilégio a quaisquer conservadores que decidissem fazer o mesmo a um evento esquerdista”, adicionou Shapiro.

    Perdi a conta de quantas vezes eu li esse tipo de ladainha”e se os de direita agissem feito os de esquerda?” Pois é bom começar a agir mesmo se não quiserem mais regresso de esquerdismo cultural na sociedade, liberdade de expressão para todos é um mito, somente os mais intolerantes conseguem a liberdade de expressão, e os conservadores perderam o direito a liberdade de expressão quando decidiram ser tolerantes com as mentiras e falsidades de esquerdistas e neoconservadores feito Shapiro. Deixem de ser tolerantes com o que há de pior no mundo se quiserem ter liberdade de expressão.

Deixe uma resposta