Lula, Odebrecht e Andrade Gutierrez tem as mãos sujas com o sangue dos venezuelanos

2
246

Na delação dos marqueteiros João Santana e Mônica Moura, ficamos sabemos que os 35 milhões de dólares da campanha de Hugo Chávez foram pagos pela Odebrecht e pela Andrade Gutierrez.

As informações são do Antagonista, que também revelou que João Santana repassou dinheiro para Franklin Martins (jornalista pró-PT) durante a campanha chavista. 

Aliás, Mônica Moura contou que Nicolas Maduro lhe pagou em espécie, no gabinete da Chancelaria venezuelana, o valor de US$ 11 milhões.

A grana era paga em espécie “para Mônica Monteiro”, pois ela e Franklin eram responsáveis pela parte da internet da campanha de Hugo Chávez.

Quem conseguiu que as empreiteiras financiassem as campanhas de Chávez? Nada mais nada menos que o Sr. Lula.

Em resumo, a corrupção petista chegou a orquestrar o financiamento da ditadura chavista, que já matou 39 pessoas num mês de protestos. Agora fica difícil dizer que “todos são iguais” no momento em que o dinheiro da corrupção orquestrada pelo PT derramou diretamente o sangue de dezenas de venezuelanos.

Não dá para comparar partidos que fazem corrupção (cujos integrantes devem ser punidos, claro, pois ninguém aqui tem bandido de estimação), com partidos que além de fazer a corrupção tradicional, arquitetam a corrupção para projetos de poder totalitários, que compram a liberdade de seu povo para depois matá-los.

As mãos de Lula, da Odebrecht e da Andrade Gutierrez estão sujas com o sangue dos venezuelanos.

Anúncios

2 COMMENTS

  1. Ninguém mais vai poder dizer que políticos “são todos iguais” ou chamar petistas de “equivocados “. O prazo do benefício da dúvida expirou, sem desculpas. Quem ainda tiver coragem de apoiar esses bandidos depois de tudo isso, estará apenas revelando a sua verdadeira natureza: ou seja, é bandido também.E merece ser tratado como tal.

  2. Sempre lembrando que matar 39 pessoas em DOIS MESES é quase 08% das mortes atribuídas à ditadura militar brasileira em VINTE ANOS.
    Neste ritmo, em dois anos e meio aproximadamente o Maduro igualará vinte anos de ditadura militar brasileira. E isto que nas mortes atribuídas ao regime (434) metade é de desaparecidos, que não estão incluídos nos 39 mortos por Maduro nos últimos dois meses.
    Afora o número de presos políticos e torturados na Venezuela que NESTE ANO já superam com folga os vinte anos de ditadura militar brasileira.
    Não é defesa de nossa ditadura, é parâmetro para ver o quão cruel é o que acontece na Venezuela.

Deixe uma resposta