Jovem ultraesquerdista tcheca diz: “se for estuprada por um imigrante, vou superar”

2
205

Lucie Myslikova ficou famosa nas redes ao usar o uniforme de escoteira da República Tcheca e ir confrontar uma manifestação nacionalista  em seu país. É possível encontrar informações sobre o caso em matérias como “The Girl Who Stood Up to the Far-Right’. A foto dizendo “girl standing up to a skinhead” viralizou.

Mas a história é mais complexa do que isso. O detalhe é que ela não era uma garota inexperiente em protestos. Ela apenas colocou um uniforme de escoteira para a demonstração. Lucie utilizou narrativas pregando paz e respeito pela oposição. O movimento internacional dos escoteiros (World Organization of the Scout) caiu na conversa, citando-a como exemplo de “busca por diversidade, paz e entendimento”.

O detalhe é que os skinheads criticavam as fronteiras e a migração, uma demanda legítima, mesmo que eles extrapolem em vários momentos. A certo momento, um dos manifestantes a questinou sobre como ela reagiria se fosse “violada por aqueles que defende”. Ela replicou: “Mesmo se algo ocorresse comigo, as dores físicas sempre podem ser curadas. Eu iria superar”.

Obviamente as organizações de Garotas Escoteiras silenciaram diante disso. Ou seja, ela tornou o estupro justificável em nome de um discurso político. Pior: esse tipo de discurso incentiva o estupro e desempodera as mulheres. É assustador, no mínimo.

As informações são do Jihad Watch.

Anúncios

2 COMMENTS

Deixe uma resposta