Oito testemunhas de Lula desistem de defendê-lo: ele está virando um leproso político

2
181

Nesta quarta (17), Sergio Moro homologou nada mais nada menos que a desistência de 8 (oito) testemunhas de defesa em um processo que envolve a aquisição, pela Odebrecht, de um terreno na cidade de São Paulo para a construção do Instituto Lula.

Anote os desistentes: João Roberto Vieira Costa, Luiz Sérgio Ragnolli Silva, Ivo Motta Azevedo Corrêa, Diana Teresa di Giuseppe, Glauco Arbix, Talvino Rasmussen Azenha, Ricardo Abravomay e seu filho Pedro Abramovay.

Quem diria: Pedro Abramovay, um dos dos mais dedicados propagadores da agenda de extrema-esquerda no Brasil simplesmente pede para sair fora.

É sinal de que Lula se tornou um leproso político nos últimos dias, principalmente depois de seu depoimento ao juiz Moro.

Vale lembrar que nesta semana até Monica Iozzi tomou chá de sumiço depois de sair em defesa de Lula por causa da capa da Veja. Porém, como a situação era indefensável, Mônica tomou esculacho em nível diluviano e resolveu “dar um tempo” na Internet.

Que fase, que fase…

Anúncios

2 COMMENTS

  1. A verdadeira mega provação de Lula,começará em 27 de outubro próximo quando completará 72 anos de idade.

    72 anos é o 6º ciclo de 12 anos (6×12=72) na ciência numerológica.
    7+2=9 O nº 9 simboliza o final.
    PS-As idades de 36 anos (3+6=9) e 72 anos (7+2=9) são as piores em provações.

    Será,por um ano,um período de mega provações generalizadas (traições,prisão,doenças graves,internação hospitalar,risco de morte acidental,queda brutal e irreversível pessoal e política,(…).
    Será o fim físico e/ou político de Lula.

    Quem viver verá!

    PS2-Quem foi “picado pela mosca azul” e está alucinado para chegar à presidência da República,é o embusteiro,socialista fabiano,chamado João Doria.

    Doria em 16 de dezembro próximo fará 60 anos.
    60 anos,é o 5º ciclo de 12 anos. (5×12=60).
    Fase de mega provações generalizadas,também.
    Todo o ano de 2018 será desfavorável para Doria.
    O abandono da prefeitura de S.Paulo pela campanha presidencial será um verdadeiro “tiro no pé”.

    Quem viver verá!

Deixe uma resposta