As milícias pró-PT destruíram um ponto de ônibus, mas quem usa esse transporte é o povo, não o presidente

1
72

A narrativa adotada pela extrema-esquerda nesta terça (24) como pretexto para destruírem espaços públicos era de que estavam em protestos para antecipar as eleições.

As agressões seriam uma forma de afrontar o Estado de Direito e demonstrar poder, o que não funcionou muito bem, pois a imagem da ultraesquerda ficou bem negativa.

A imagem acima mostra um dos exemplos do que eles fizeram nesta terça: destruíram um ponto de ônibus.  Isso ajuda a manchar a imagem de um partido que viveu fingindo lutar pelo povo trabalhador.

Não são os políticos que pegam ônibus, mas o povo trabalhador que acorda às cinco horas da manhã para lutar pelo seu ganha pão. A extrema-esquerda mostrou que não tem respeito nenhum por estas pessoas.

Esta terça viu um festival promovido por monstros que odeiam o povo.

Anúncios

1 COMMENT

  1. Do diário do Poder: “Suspeita é que cúpula petista planejou badernaço
    Cresce a suspeita de que a cúpula do PT planejou o badernaço em Brasília, com violência e vandalismo, incluindo a tentativa de incendiar ministérios. O caso foi entregue à Polícia Federal. O presidente do PT, Rui Falcão, e outros dirigentes chegaram a Brasília no início da semana para o protesto do dia 24. Na véspera, 23, senadores do PT pediram ao governador de Brasília que a Polícia Militar não revistasse ônibus chegando com manifestantes. Ele se negou a atender o pedido”
    Sério?

Deixe uma resposta