Barroso tenta defender acordo vergonhoso com a JBS mas seu argumento é… aquela beleza

3
76

As narrativas das tropas pró-Janot e pró-Fachin não iriam demorar para começar. Assustados com a rejeição do povo diante do acordo dourado fechado com os irmãos JBS – que deu total impunidade aos irmãos Joesley e Wesley, ao contrário do que ocorreu em outras delações -, Edson Fachin começou a depender de ajuda na propagação de narrativas.

O ministro Luís Roberto Barroso, seu colega no STF, disse que as críticas significam “um cerco” à Lava Jato, mas isto não passa da falácia ad lavajatum, que define alguém como inimigo da Lava Jato apenas por discordâncias em relação a alguns métodos e procedimentos de pessoas que estão longe de representar a operação como um todo.

Criticar o acordo entre a dupla Janot/Fachin e os irmãos JBS não significa qualquer tipo de interrupção à Lava Jato e nem qualquer impacto sobre as provas já fornecidas e delações recebidas.

Ele se posiciona contra a revisão do acordo: “Seria uma deslealdade do Estado, uma vez obtida a informação, não honrar o compromisso que assumiu”, declarou Barroso, evocando comentário que extraiu de um voto de Ayres Britto, ex-presidente do Supremo, já aposentado. “Penso que nós destruiríamos a figura da colaboração premiada, que foi decisiva no Brasil para romper o pacto de silêncio que havia nesse tipo de criminalidade”, acrescentou.

Uma coisa não podemos negar: ele é um expert na prática de falácias em alta velocidade.

Acima vemos apenas a falácia da consequência, que tenta refutar uma ideia por suas consequências. Porém, Barroso depende de outra falácia: a bola de neve, a qual consiste em partir de uma proposição e encadear outras proposições até chegar a uma conclusão absurda.

A colaboração premiada tem acontecido em vários momentos, sem qualquer dependência da impunidade total. Basta ver o caso de Marcelo Odebrecht, que está abrindo o bico mesmo tendo sido preso. O mesmo está ocorrendo com Palocci.

É enorme o número de pessoas presas e que delatam tudo. Portanto, a proibição de acordos bizarros (e de suas revisões) não irá demover pessoas de delatar. Ademais, o acordo dos irmãos JBS foi quebrado por eles próprios, dado existirem crimes recorrentes, como a especulação a partir de informações privilegiadas e, possivelmente, até um audio supostamente editado. Assim, cancelar este acordo – e ao mesmo tempo manter as provas e as delações já colhidas, matando o argumento de que isso “interromperia a investigação” – é algo mais do que justificado. É imperativo.

Fique atento: de novo, cabe recobrar como Barroso é um expert na prática de fraudes, como neste caso, dos tempos do impeachment, em que ele foi refutado por Felipe Moura Brasil:

Anúncios

3 COMMENTS

  1. Por falar em LEALDADE…
    Disseram que foi combinado o pagamento de R$ 500 mil semanais por 20 anos, acho que para Eduardo Cunha.

    Quem confiaria nesse acordo?
    Que não pode ser cobrado na Justiça.
    Esperar que os bandidos e criminosos confessos sejam LEAIS por 20 anos?

    Isso é ficção?
    Ou humorismo?

  2. .
    Coisas que ninguém da MIDIA e nem mesmo de blogs irá destacar sobre a safadeza da PGR (claramente petista) com os bilionários da JBS:

    Um acordo de leniência no valor de R$ 10,3 bilhões para serem pagos em 25 ANOS e apenas corrigiodo pelo IPCA …PQP!!! …PQP!!! …PQP!!!

    Primeiramente o IPCA é um índice fajuto, sobretudo para quem negocia em dólares. Sem contar que é manipulado entre pesos dinâmicos nos itens do calculo.

    IPCA …SEM JUROS???? …Já é coisa de safados.

    IPCA …EM 25 ANOS???? …Já é coisa de safados.

    Outro fato importante é quando começarão a pagar???

    Se antes dos 25 ANOS a JBS falir aqui no bananão, como ficará o pagamento???

    Se simplesmente NÃO PAGAR, qual será a penalidade???? ..RENEGOCIAÇÃO????

    Poderá pegar emprestado ao BNDES mais financiamentos para pagar tal dívida???
    Afinal, com o acordo JÁ ESTARÃO HABILITADOS para conseguir NOVOS EMPRÉSTIMOS SUBSIDIADOS no BNDES.

    Francamente…
    Ademais, FUNDOS de PENSÃO, BNDES, Caixa Econômica e BB são, juntos, donos da maior parte da tal empresa …FRANCAMENTE!!! …esse tal acordo da PGR (canalhas corruptos do PT; PTGR) é um acinte à população.

    Os irmãos bandidos do PT estão bilionários no exterior e pouco se lixando para J&F ou JBS.
    Simplesmente NÃO HAVERÁ PAGAMENTO!!! …Afinal os acionistas são FUNDOS de PENSÃO, BNDES, Caixa econômica e BB.

    EM 26 ou 27 anos, fora renegociações, a JBS vai quebrar e não vai pagar tal multa. Além de ainda pegar mais financiamentos no BNDES, já que pelo acordo esta habilitada.

    o PULHA ENGANOT apenas aplicou uma estratégia para engabelar imbecis com tal acordo. Os bandidos estão BILIONÁRIOS, LIVRES, LEVES e SOLTOS!!!

    PGR, sobretudo ENGANOT = Advogados de BANDIDOS e integrantes do mais abjeto PETISMO!!!

Deixe uma resposta