Sindicatos receberam R$ 3,5 bi de imposto sindical em 2016, mas multa por destruição de ministério é de apenas R$ 1,6 mi

2
19

Temer decidiu cobrar R$ 1,6 milhão dos organizadores do ato pró-Lula da última quarta-feira (24) por danos e estragos provocados no Ministério da Agricultura. Grace Mendonça, ministra da AGU, entrou com uma ação judicial por reparação civil no TRF-1 (Tribunal Regional Federal da 1ª Região).

Em relação aos danos causados aos seis demais prédios ministeriais depredados, serão impetradas novas ações. O estrago deve ter ficado num valor próximo a R$ 5 milhões.

 Como não foi possível identificar a maior parte dos terroristas responsáveis pelos danos, a AGU acionou as centrais sindicais e os movimentos de extrema-esquerda que convocaram o ato.

As entidades envolvidas no crime são Força Sindical, CUT, CSB, MTST e outros.

Tudo é mais revoltante quando lembramos que os sindicatos receberam (como um todo) cerca de R$ 3,5 bilhões em 2016 só de imposto sindical. Ou seja, dinheiro retirado de forma fascista do povo trabalhador, que não teve direito à escolha.

Se considerarmos todo esse valor junto com a atual escalada de violência por parte da extrema-esquerda, imagine quantos horrores mais essa grana pode financiar? Se é para tocar o terror, que o façam a partir de suas verbas e se entendam com a Justiça, mas não com o dinheiro do povo.

Se havia a necessidade de mais um argumento pelo fim do imposto sindical, este quebra-quebra fecha a questão.

Anúncios

2 COMMENTS

  1. Até resolver essa situação medonha do imposto sindical, que venha mais processos contra essas centrais sindicais. Por enquanto pode ser uma forma de tirar dinheiro dessa gente para que eles não tenham condições de financiar atos terroristas.

Deixe uma resposta