Por que campanha de Doria para "entrega de armas" não incluiu as armas de seus seguranças?

11
488

A Prefeitura de São Paulo divulgou o seguinte em seu site oficial:

Como parte da campanha global para redução da violência armada, a Prefeitura de São Paulo, em parceria com Instituto Sou da Paz, promove na próxima quinta e sexta-feira, 8 e 9 de junho, uma campanha de entrega voluntária de armas. Cerca de 40 mil pessoas morrem vítimas de armas de fogo no Brasil por ano, e muitas destas mortes poderiam ser evitadas se não fosse a presença de uma arma.

Com o mote Silence the guns, que dialoga com a realidade brasileira, a IANSA – International Action Network on Small Arms (Rede Internacional de Ação sobre Armas de Pequeno Porte, em tradução livre), realiza entre 5 e 12 de junho a Week of Action (Semana de Ação), em que anualmente organizações de todo o mundo promovem atividades pró redução da violência armada.

A cidade de São Paulo tem centenas de postos de recebimento fixos cadastrados, onde os cidadãos podem entregar voluntariamente suas armas durante todo o ano, mas nesta semana quatro postos da Guarda Civil Metropolitana (GCM) estarão especialmente preparados para receber a população: dois na Zona Sul (Vila Mariana e Santo Amaro), um na Zona Norte (Santana) e um na Zona Leste (Aricanduva/Formosa).

Para início de conversa, a informação que abre a notícia é falsa: a de que campanhas para “redução da violência armada” tem a ver com coleta de armas.

A razão é que os cidadãos dispostos a sair matando os outros simplesmente não estão entre aqueles que entregam as armas. Somente caem nessa conversa os cidadãos que não tem por objetivo sair matando os outros, apenas se defenderem.

Desta feita, a campanha é mentirosa do início ao fim, principalmente quando temos o fato de que a violência só está aumentando desde que se estabeleceu o desarmamento de civis no Brasil. Com isso, os criminosos violentos são estimulados a praticar mais violência, principalmente pela certeza de que suas potenciais vítimas estarão desarmadas.

O mapa da violência também mostra que a violência atinge principalmente as faixas mais pobres da população. Em suma, o desarmamento transforma cidadãos pobres em potenciais vítimas de crimes bárbaros.

É absurdo que João Doria tenha permitido uma campanha junto com uma ONG de extrema-esquerda como o Instituto Sou da Paz, que vem lançando discursos dissimulados em nome de ideias totalitárias. Na Venezuela, por exemplo, é fácil para as Forças Especiais de Maduro matarem o povo desarmado.

O bizarro é que a extrema-esquerda que foi à campanha de “coleta de armas” com a prefeitura está pronta para demolir sua gestão, uma vez que não manifestam nenhum apreço a um modelo desestatizante de governo (pois dependem de tetas estatais).

Mesmo ciente disso, Doria se alia a esse tipo de gente e despreza aquela parte da direita que o apoia. É uma afronta desarmar o povo quando o que estamos exigindo é o direito à autodefesa.

Como se a afronta não fosse pouca, ninguém teve qualquer notícia de se os seguranças de João Doria entregaram suas armas na campanha. Quer dizer: o povo deve estar desarmado, mas não seus seguranças.

E agora, Doria, como essa contradição pode ser explicada?

Anúncios

11 COMMENTS

  1. O Dória deixa claro que não é realmente de direita, mas provavelmente um misto de centro e fabiano.
    Ainda assim, essa campanha não muda minha posição, ainda acho ele o único viável para barrar a esquerda e ainda assim manter um programa que inclua o fim do politicamente correto, privatização dos elefantes estatais, e em geral uma melhora na vida das pessoas.
    Não adianta achar que logo em 2018 vamos ter um candidato dos sonhos. Porém isso não significa que a direita deve ser passíva. O primeiro passo é escolher o menos pior. E o Dória não é ruim, na minha opinião. A despeito de certas divergências.
    Mas a divergência também é o que diferencia a direita da esquerda. Não somos uma massa acefálica alinhada em uma ideologia, mas pessoas reais com pensamentos e valores distintos.

  2. Esta atitude mostra o que está por trás do Doria, aos ou poucos ele deixa transparecer realmente quem ele é, um fantoche. É isto que está corja está criando, afinal eles não tem candidato para 2018 e precisam criar um. Já tenho o meu candidato e sei que fará a diferença pois farão de tudo para impedilo.

  3. Será que apareceu algum “soldado do crime” para entregar ao menos um “fuzilzinho”? Um AR15?… Tá bom: um estilingue… Não? Que coisa….

  4. Doria faz o mesmo cálculo político de todos os demais tucanos. Entendem eles que os votos da Direita lhes caem inexoravelmente no colo, “por gravidade”, e que portanto não devem perdem muito tempo com a Agenda dessa turma. O importante mesmo é ampliar o eleitorado garimpando votos na esquerda. Desarmamento, feminismo, meio ambiente, cicloativismo, cotismo racial etc devem ser adotados como isca para atrair socialistas fabianos e esquerda caviar. Os de Direita que se danem, vão chorar na cama, que é lugar quente, continuem votando de nariz torcido mesmo! É o preço a pagar diante do mal maior representado pela esquerda-brucutu. Até agora esse jogo deu certo para eles, dado que mesmo perdendo eleições seguidas, continuam com nacos consideráveis de poder. De minha parte, cansei! Não voto nunca mais em pauta esquerdista, moderada ou não. Ou defende pauta de Direita, ou nada feito! Tucanismo fabiano nunca mais! Doria, vá lamber sabão, com uniforme de gari e tudo!

  5. O “cidadão de bem”, “pai de familia”, reclama das taxinhas de 150 merréis na policia federal pra registrar a arma, imagina ter 8 mil reais pra comprar uma glock? Dai vem aquele argumento clássico desses energúmenos “ahhhh mas o procedimento na policia federal é muito burocratico”. Se coloquem no lugar do delegado da policia federal, o cidadão responde por vários inquéritos de violencia, agressão e etc, vai lá e solicita autorização pra compra de arma, vc concederia isso? O procedimento pra vc ter uma arma legalmente é minímo, vc precisa comprovar necessidade, bons antecedentes criminais, não pode estar respondendo inquérito, comprovante de residencia, emprego licito.. a maioria dos pobre coitados já para por aí, quem dirá ter R$ 8.000,00 pra comprar uma glock.. Isso q eu nem toquei no assunto de q 99% da população brasileira nunca fez um curso de tiro, minha familia sempre teve arma registrada, estão lá guardadas, e acredito que se um dia fossemos assaltados por alguem apontando uma arma na nossa cara, não poderíamos fazer muito a respeito. Outra coisa, esse recolhimento de armas é VOLUNTÁRIO, ou seja, vc leva se vc quiser, se vc por um a caso for um “cidadão de bem” “pai de familia” e eximio atirador q defende a população dos bandidos, ora, é só vc não doar a porra da arma.

  6. Outra coisa q me intriga, o que de fato esse bando de zé ruela pai de familia quer? o governo não está obrigando vc a doar sua arma, e tem gente q nem arma tem e está reclamando, muita incoerência
    querem uma dica de pistola barata é essa taurus calibre .380 http://www.casadotiro.com.br/produtos-ver/pistola-taurus-pt-58-hc-plus-oxidado-fosco-calibre-380/2462

    R$ 5.800,00
    no proprio site tem o procedimento pra vc legalizar ela,

    tá ruim? vocês querem o que? que o governo subsidie armamento pra qlqr bebado e drogado por aí? muita gente q se diz a favor das armas nunca pegou numa, não sabe destravar, nao sabe carregar, não sabe os principais componentes dela, tipos de calibre que são permitidos, aonde vc pode levar a arma, aonde não pode..
    sabe o que vai acontecer se desburocratizarem a aquisição de armas? os traficantes vao começar a comprar armas legalmente.. pq o cidadão brasileiro pobre coitado classe média pode não ter 5 mil pra comprar uma arma, mas o traficante lá do morro paga 60 mil num fuzil brincando.. pior, quem vende é a própria policia/forças armadas

    esses zé povinho que apoiam bolsonaro vivem num mundo de faz de conta difícil de acreditar

Deixe uma resposta