Trump dá aula de democracia ao cancelar acordo macabro de Obama com ditadura cubana

19
99

Donald Trump anunciou nesta sexta (16) que o acordo feito entre Barack Obama e a ditadura cubana está cancelado.

“Eu estou cancelando o acordo completamente unilateral da última administração [Obama] assinado com Cuba”, disse Trump em um comício realizado em Little Havana, na cidade de Miami, tradicional polo de exilados cubanos nos Estados Unidos.

Ele ainda lembrou que reforçará o embargo contra a ilha e que seu governo adotará novas restrições a viagens de americanos para Cuba e a proibição para empresas norte-americanas de fazer negócios com empresas cubanas controladas pelas Forças Armadas do país latino-americano.

Em posição diametralmente oposta à indiferença desumana de Obama, Trump denunciou o que chamou de “natureza brutal” do regime de Raúl Castro em Cuba. “Em breve alcançaremos uma Cuba livre”, afirmou o presidente.

Acompanhado pelo vice-presidente Mike Pence, por vários membros de seu gabinete, pelo governador da Flórida, Rick Scott, por congressistas de origem cubana como Marco Rubio, Mario Diaz Balart e Carlos Curbelo e representantes de da comunidade de exilados cubanos, Trump disse que os dissidentes José Daniel Ferrer e Berta Soler, que não foram autorizados a viajar para Miami, “estão aqui com a gente.”

“Negociaremos um acordo melhor [com Cuba]”, avisou Trump, salientando, todavia, que isso será possível somente no caso ocorram avanços democráticos “concretos”, e a realização de “eleições livres” e a “libertação de prisioneiros políticos”.

“Quando os cubanos realizarão medidas concretas, estaremos prontos, dispostos e capazes de voltar à mesa de negociação do acordo, que será muito melhor “, disse Trump.

“É importante que haja liberdade em Cuba e na Venezuela”, declarou. Por fim, o presidente agradeceu a comunidade de exilados cubanos por ser a “voz dos sem voz” e disse que eles fazem a diferença na luta para parar a perseguição do regime contra os dissidentes e para acabar com a “ideologia depravada” que existe em Cuba.

Eis uma atitude que significa uma lição de democracia para o mundo. Está na hora de pensar um pouco no sofrimento do povo cubano.

Advertisements
Anúncios

19 COMMENTS

  1. As pessoas estão tão desabituadas com governos que cumprem o que prometeram na campanha que, quando aparece um que cumpre, ficam estupefatas. Trump nunca negou a que veio e está cumprindo o que prometeu. Vai ser uma gritaria, a começar pelo nosso Manhattan…

  2. Como eu gostaria de ver o tal Trump ser tão valentão contra a Arábia Saudita como ele é com Cuba.

    Mas a Arábia Saudita, e o seu terrorismo, tem negócios com a família Trump…

    • Negócios tinha com Obama e Hillary. Se está de mimimi por causa da “seletividade” nos primeiros meses com relação a entrada aos EUA de pessoas oriundas da Síria, Iraque, Irã, Líbia, Sudão e Iêmen, etc, os mesmos já eram listados desde a gestão Obama em uma lista para supervisionar de maneira reforçada os passageiros. São países que estão em crise de segurança em seus aeroportos. Mas a narrativa imbecil da esquerda disse que é por causa de “negócios”. Não é mesmo?

    • Claro, Carlos. Mexi com o Trump e o partido Republicano, as trumpetes vem socorrê-lo.

      Brasileiros americanizados “republicanos” não são muito diferentes dos brasileiros americanizados “democratas”

  3. JN abriu ontem com a chamada: – De volta ao passado. Trump cancela o acordo com Cuba. Ao fundo a imagem de Obama apertando a mão de Raul. Nitidamente criticando mais uma vez o ato do presidente gringo. Só não conseguiu explicar a quantidade de cubanos aplaudindo de pé as palavras de Trump.

  4. O Carlos é o típico ignorante político,que não debate.A falta de argumentos e conhecimento é substituído por ofensas pessoais.Esses pseudo direitistas,não diferem muito da petralhada. Sendo contra Cuba,não importa o motivo,vai estar sempre certo.Quero ver ele o Carlos conseguir visto para entrar nos EUA.

  5. reclamam muito dos nossos militares. que aqui teve uma ditadura militar. e são os mesmos que apoiam cuba como um exemplo de democracia. como disse a nossa doidaanta la fora.. em uma entrevista a al jazera… vergonha ditadura militar é e sempre foi em cuba onde milhares foram mortos.. pena que nossos militares. não foram tão eficientes como foi o governo dos castro. mataram milhares.. se nossos militares. tivessem feito o mesmo aqui. esta turma não estaria falando merda hoje.

Deixe uma resposta