PF apresenta laudo cravando: “Lula é dono do sítio”. Moro já pode prendê-lo imediatamente.

4
215

Conforme matéria da Veja, “em 4 de março de 2016, seis peritos criminais a serviço da Operação Lava Jato, apoiados por investigadores da Polícia Federal, cumpriram um mandado de busca e apreensão no sítio em Atibaia onde a família Lula baixou todo fim de semana depois dos oito anos nos palácios de Brasília. Acompanhados por duas testemunhas e pelo caseiro Élcio Pereira Vieira, os especialistas haviam sido encarregados de ‘caracterizar a ocupação do Sítio e identificar seus principais frequentadores, além de responder aos quesitos formulados pela autoridade solicitante dos exames’.”

A matéria prossegue: “os homens da lei estavam lá à procura de evidências materiais que ajudassem a esclarecer duas interrogações. Primeira: quem era o verdadeiro dono do sítio? Segunda: de onde veio o dinheiro que bancou a reforma do terreno de bom tamanho, complementada por instalações e benefícios milionários? Os fatos berram que tanto a compra como as obras foram patrocinadas por empreiteiras favorecidas pelo governo do chefão. Lula ainda insiste que os donos do lugar são Jonas Suassuna e Fernando Bittar, amigos do notório Lulinha, o Ronaldinho da informática”.

O laudo é longo e minucioso, mostrando que o sítio forma com o triplex do Guarujá a dupla de peças mais valiosas da Imobiliária Lula. A narrativa de que o sítio “não é dele” vai pelos ares.

Sobre evidências materiais nas dependências do Sítio que possam identificar seus eventuais frequentadores, o laudo diz: “Foram identificados inúmeros objetos pessoais vinculados às pessoas de Luiz Inácio Lula da Silva e de sua esposa Marisa Letícia Lula da Silva. Esses objetos encontravam-se localizados, mormente, na Casa Principal, em especial, na Suíte 01. (…) Também foram localizados objetos pessoais vinculados aos seguranças da Presidência da República”.

Em relação a identificação de evidências materiais no Sítio que possam indicar o uso do imóvel pelas pessoas de FERNANDO BITTAR ou JONAS LEITE SUASSUNA FILHO, o laudo segue: Não foi identificado qualquer objeto de uso pessoal que pudesse indicar o uso do imóvel por Jonas Leite Suassuna Filho e Fernando Bittar. A única referência ao Sr. Fernando Bittar são alguns croquis localizados no interior de uma pasta rosa, cuja destinatária era a Sra. Marisa Letícia Lula da Silva”.

O laudo também fala da implementação de instalações ou realizadas quaisquer obras ou aprimoramentos no Sítio voltadas ao uso do ex-Presidente LUIZ INÁCIO LULA DA SILVA e de sua família: “Foram identificadas inúmeras melhorias voltadas ao uso do ex-Presidente Luiz Inácio Lula da Silva, tais como uma adega, construída para acomodar centenas de garrafas de bebidas, instalações de sistema de segurança em todo o Sítio, assim como o depósito utilizado para armazenamento de caixas diversas que (…) se relacionavam à mudança do ex-Presidente Lula. Além dessas melhorias, foram identificados objetos utilizados para usufruto das instalações do Sítio, tais como o barco de fibra contendo a inscrição “LULA & MARISA”, bem como itens decorativos, a exemplo da mesa com o brasão “LM”. Ademais, foi localizada uma pasta rosa endereçada à ex-Primeira Dama, contendo documentos relacionados à reforma da cozinha e construção da Casa 01, indicando que a Sra. Marisa Letícia teve envolvimento com as adaptações realizadas no Sítio”.

Sobre objetos pessoais pertencentes a Lula e sua família depositados nas dependências do Sítio, lemos: “Além dos objetos pessoais localizados na Casa Principal, já mencionados, (…) foram identificados inúmeros objetos que podem ser vinculados, explicitamente ou não, ao ex-Presidente Luiz Inácio Lula da Silva e sua esposa. Adicionalmente aos objetos localizados na Casa Principal, também foram encontrados itens pessoais do ex-Presidente Luiz Inácio Lula da Silva e de sua esposa em outras dependências do Sítio, sobretudo no Espaço Gourmet, no Anexo da Casa Principal e no Depósito. Esses itens acham-se relacionados em extensa, mas não exaustiva, lista constante (…) do presente Laudo”.

Em suma, é um xeque mate nas narrativas da defesa de Lula.

Porém, tudo isso resulta em pressão adicional para a Operação Lava Jato, pois nada mais explica o fato de Lula estar solto. Lembre-se que por muito menos evidências Eduardo Cunha está preso preventivamente. O mesmo deveria ocorrer com Lula.

Apenas a condenação é muito pouco. Apenas prisão preventiva (junto à condenação) fará justiça diante dessas provas.

Anúncios

4 COMMENTS

  1. “Foram identificadas inúmeras melhorias voltadas ao uso do ex-Presidente Luiz Inácio Lula da Silva, tais como uma adega, construída para acomodar centenas de garrafas de bebidas”

    HAHAHAHAHAHAHA

  2. O problema é que o Moro, no fundo, também é frouxo.
    Veja como ele foi rápido com Cunha e outros adversários do molusco…
    Vai sentar nesses processos e esperar o Lula morrer.
    Ou então vai fazer que nem aquele cotista lá do STF (que também livrou o Lula no Mensalão) e pedir penico.

Deixe uma resposta