Três senadoras criminosas só conseguiram tomar a mesa porque Eunício foi burro e frouxo

5
280

É uma pena que burrice e frouxidão não causem dor imediata. Assim, vemos burros e frouxos rastejando perante a sociedade e achando tudo muito lindo.

O fato é que nesta terça (11), o presidente do Senado Eunício Oliveira teve uma das atuações mais omissas e estúpidas da história recente ao permitir que impunemente três senadoras de extrema esquerda ocupassem as cadeiras da mesa diretora para impedir o início dos trabalhos para a votação da reforma trabalhista.

O circo de Gleisi Hoffmann (PT-PR), Lídice da Mata (PSB-BA), Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM), Fátima Bezerra (PT-RN) e Regina Sousa (PT-PI) durou a tarde toda, causando o maior fuzuê e um tanto de capitalização política para a extrema esquerda.

A certo momento, ele mandou cortar a luz do local. Foi quando as senadoras mandaram trazer marmitas para comerem por lá mesmo. Basicamente, era um cenário de afronta, toda ela tolerada por Eunício, que provavelmente vai ter muito o que explicar em casa.

Para resolver esta palhaçada bastariam duas coisas: deixar de ser burro e frouxo. Seria suficiente chamar a Polícia do Senado para retirar as senadoras. Alguns diriam: “ah, mas como são mulheres elas usariam a carta da falsa acusação de machismo!”.

É por isso que eu disse: não adiantaria deixar de ser frouxo. Era preciso não ser burro também. O jogo da escória bolivariana seria quebrado com o uso de… policiais femininas.

Anúncios

5 COMMENTS

  1. Como escreveu o Augusto de Franco, o que o PT fez hoje no Senado é uma pequena mostra do que eles farão com Maia após a queda de Temer.
    Foi uma lição para certo tipo de direita que apoia a manobra Janot/Globo.

  2. Verdade quanto à frouxidão. Mas vocês conhecem bem o uso do pós-modernismo pela esquerda para saber que, principalmente em um caso desse tipo, policiais mulheres não são mulheres, são policiais.

Deixe uma resposta