Ao mostrar que cuspe de Jean Wyllys é muito mais grave piada de Danilo Gentili, juíza deu aula sobre liberdade de expressão

8
361

Ontem à noite saiu a notícia que deu um sopro de esperança para os brasileiros que almejam a liberdade em um mundo civilizado: o TRF-1 indeferiu uma ação movida pela Câmara dos Deputados para que o comediante Danilo Gentili retirasse do ar um vídeo divertidíssimo no qual ele rasgava e esfregava no saco uma correspondência oficial enviada pela deputada federal Maria do Rosário (PT-RS).

A juíza federal substituta Luciana Raquel Tolentino de Moura disse que o vídeo não deveria ser retirado. Ela considera que as palavras e gestos de Danilo são “deselegantes”, mas não trazem “qualquer ofensa à autora”.

Esse é o momento definitivo: “Acredito que coisa bem pior, diria até mesmo mais vulgar, já foi dita — e transmitida ao vivo —, das tribunas do Congresso Nacional, chegando-se inclusive a tristes cenas de agressões pessoais (verbais e físicas), como aquela do cuspe por ocasião da votação do impeachment da presidente Dilma, dentre tantas outras cenas lamentáveis”, justifica a magistrada, lembrando o caso em que o deputado Jean Wyllys (PSOL-RJ) cuspiu em Jair Bolsonaro (PSC-RJ).

O detalhe é que o cuspe de Jean Wyllys não é apenas a emissão de uma opinião, mas um ato similar a um estupro, uma vez que é o lançamento de secreção sobre outra pessoa. Dar um cuspe em alguém é similar a ejacular sobre o outro. Logo, é tão grave quanto as formas mais brandas de estupro. Jean Wyllys deveria ter sido preso, mas não foi nem mesmo suspenso.

Já no caso de Danilo Gentili, ele não encostou um dedo sequer em Maria do Rosário. Não cuspiu e nem ejaculou em cima dela. Nem tem comparação, portanto, em termos de gravidade. O que merecia punição é o cuspe de Wyllys, não a piada divertidíssima de Gentili. Um Congresso que inocenta Wyllys por algo tão grave quanto ejacular em alguém não tem moral para reclamar da piada sensacional que Gentili fez em vídeo.

E a juíza ainda acrescentou, ao final: “O litigado disse algumas palavras que representam, em certa medida, o pensamento e o anseio de milhões de brasileiros. E são absolutamente verdadeiras tais afirmações”, pontua a magistrada, que conclui a decisão afirmando que a intenção de retirar o vídeo de circulação é uma “medida nitidamente de caráter repressor; censor, próprio das ditaduras”.

Nota 10 para a juíza.

 

Anúncios

8 COMMENTS

  1. Dra. Luciana Raquel, que raciocínio lógico! Suas palavras são sábias e incontestáveis. Parabéns!
    São pessoas como a senhora que trás aos brasileiros esperança de justiça imparcial.

    • A DEPUTADA Maria do Rosario é paga com meu dinheiro nao me representa e ainda não tem mais direiros que eu. Nem no estado dela ela tem respeito.
      A maior BANDIDA ja envolvida na Lava Jato também.
      Logo ela sera presa. Ela não é um JUIZ ela é apenas uma idiota política.

  2. Juíza parabéns!!! Mas agora vão dizer que vossa excelência é de direita partidária, e que não tem moral para julgar , que é homofóbica, e outros adjetivos imorais e sem noção que esse “povo”que inverte os valores da lei , achando que estão acima dela e a cima dos magistrados desse país. E o pior é que alguns magistrados que estão no poder misturados com essas corjas fazendo-os, acreditar que realmente podem manipular a Justiça Brasileira… infelizmente!!

  3. Meus sinceros parabéns a juíza, Luciana Raquel, que foi feliz em proferir a sentença a favor do Danilo Gentili. Suas palavras é a voz de milhões de brasileiros que buscam e anseiam por justiça e liberdade.

  4. A falta de liberdade de expressão é patente no Brasil. A importância que os magistrados dão ao vídeo é de perceber que não existe assuntos mais relevantes neste país. A casta dos órgãos de justiça no país merece estudo psicanalítico. Cadê a liberdade neste país. Vemos apenas a proteção dos órgãos de justiça aos seus. Usam da própria função para a defesa dos magistrados e órgãos afim. Então fica patente o uso da função para assuntos privados.

Deixe uma resposta