O bebê Charlie Gard hoje morreu apenas por uma demonstração de poder e sadismo da elite esquerdista da UE

3
365

Agora tudo está terminado. O bebê britânico Charlie Gard morreu nesta sexta-feira (28/7), segundo informou o jornal Daily Mail.

O casal de pais Connie Yates e Chris Gard viu que os médicos adiaram tanto o tratamento do garoto (impedindo-o até de buscar tratamento nos Estados Unidos) que a situação se tornou irreversível. Daí eles desistiram de lutar e deixaram que os médicos decidissem o destino do bebê: desligar os aparelhos para matá-lo.

Na quarta (26), o juiz britânico Nicholas Francis determinou que o casal teria 24 horas para entrar em um acordo sobre a morte da criança. Como a decisão não foi tomada, a Justiça ordenou a transferência do bebê para um clínica de cuidados paliativos, onde as máquinas que o mantinham vivo seriam desligadas.

Observe bem: a família da criança conseguiu arrecadar mais de 1 milhão de libras (R$ 4,1 milhões) para pagar o tratamento, mas quando a Justiça aceitou permitir a visita de uma equipe médica internacional para avaliar seu estado de saúde, já era tarde demais para qualquer tentativa. Ou seja, está claro que os médicos lutaram contra a participação de pessoas que pudessem tentar salvá-lo e conseguiram deixá-lo sem esse tipo de suporte, o que ajudou a colocá-lo em situação irreversível.

Como agravante, os pais ainda pediram para que o filho morresse no lar da família. Não aceitaram nem o último pedido, deixando o garoto morrer no hospital.

No fundo, a morte do bebê Charlie Gard é terrível para as pessoas normais em termos de empatia. Mas é um deleite para os psicopatas que lideram a UE.

Eles simplesmente sentiram o que é o poder absoluto. A partir do momento em que alguém consegue escolher, em público, que uma criança deve ser morta e ainda fazer tudo às claras (recebendo endosso de juízes), essa pessoa sentiu o que é o verdadeiro poder.

Fazer o mal de modo que os outros fiquem indignados e não possam fazer nada é poder em sua forma mais pura.

É principalmente isso que vimos no assassinato do bebê Charlie Gard. Uma cruel e sádica demonstração de poder. Obviamente isso vai escalar.

O leitor Arnaldo Roberto disse: “Esse trágico episódio me lembra uma cena do primeiro filme do Conan, no qual o vilão, um sacerdote de Seth, dá uma aula a Conan sobre oque é poder: ele manda uma de suas seguidoras pular do alto de uma pedra para a morte e ela obedece. Ele conclui dizendo ao Conan: “viu, esse é o verdadeiro poder!”.

É isso que os médicos sádicos, amparados pela elite esquerdista da União Européia, fizeram com o bebê Charlie Gard. Fizeram de tudo para que ele morresse para que os outros sentissem: “viu, esse é o verdadeiro poder!”.

Veja a cena do filme “Conan, o Bárbaro”:

Anúncios

3 COMMENTS

  1. Concordo que o direito deveria ser dos pais, embora o que me disseram era que esta doença não tem cura, e que segundo um médico amigo meu falou era que o que os americanos ofereciam seria um embuste, e que a criança jamais sobreviveria!

Deixe uma resposta