Entrevista de Joesley à Veja prova que ele é o tipo de empresário ideal para se aliar a Lula

3
502

Para se tornar um aliado de elite de um sujeito como Lula é preciso ter uma habilidade de levar a psicopatia a um nível que os psicopatas tradicionais não conseguem. Em resumo, falamos de uma elite de psicopatas.

É preciso ter a capacidade de gritar “chega de violência” enquanto se ordena um genocídio, por exemplo.

Para tal, a ausência de consciência precisa ser absoluta, sem qualquer freio moral. Só assim é possível exibir um nível de hipocrisia tão alto, mas tão alto que muitas de suas vítimas quedam diante das afrontas.

Nesse sentido, o empresário Joesley Batista provou ser o tipo de empresário ideal para se aliar a Lula. Em entrevista à Veja, ele demonstrou como levar o cinismo a uma escala aterrorizante.

Sobre seu pagamento de propina – de quase meio bilhão de reais – que gerou em retorno cerca de R$ 9 bilhões em empréstimo do BNDES, ele transfere a culpa ao Estado: “A gente vai ficando anestesiado”. É quase como se as pessoas tivessem colocado uma arma em sua cabeça obrigando-o a receber tanta grana a juros subsidiados e criar um império de carnes.

Em outro momento, lançou mão uma encenação de surpresa na qual nem uma criança acreditaria: “acho que a grande maioria dos políticos e dos empresários ainda não entendeu o que está acontecendo”.

Na verdade, o que acontece é que o Estado foi utilizado pela PGR para dar impunidade total a um sujeito que cometeu crimes em conjunto com quase 2.000 políticos. Sem entregar provas suficientes nem para uma dezena de prisões, ganhou o direito de ficar livre e solto. Enquanto isso, conseguiu causar um prejuízo de 300 bilhões de reais ao Brasil em poucos dias.

Chamando o público de idiota, ele diz que no futuro ainda vão agradecê-lo por receber a impunidade, ao afirmar que a sociedade pensará assim: “Pô, o Joesley teve a imunidade, mas olha como ele ajudou a desbaratar a corrupção”.

Ué, mas por que não entregou as provas antes? Por que o STF acaba de dar mais 60 dias para ele “incluir anexos”? Mais uma vez, ele cospe na cara do povo. Ele deve morrer de rir enquanto faz isso.

Para finalizar, disse: “Descobri que era um criminoso”. Hein? Um sujeito que se alia com quase 2000 outros criminosos para destruir o mercado de carnes a partir do recebimento de benefícios do BNDES só foi descobrir agora que é um criminoso? Detalhe: tempos atrás, ele dizia que iria processar quem o chamasse de bandido.

Psicopatia é pouco pra descrever.

Em suma, Joesley diz que os brasileiros – em vez de exigir sua prisão por ter tido papel fundamental na destruição intencional da economia brasileira e bater recorde na obtenção de benefícios a partir de alianças com criminosos – deveriam agradecê-lo.

Esse é o tipo de gente cínica o suficiente para financiar a destruição de países em nome de obtenção de verbas de totalitários. É com gente assim que Maduro contou para transformar seu país em um curral de gente.

Joesley é o tipo de empresário perfeito para se aliar com socialistas. Ele e Lula nasceram um para o outro.

Anúncios

3 COMMENTS

  1. Esse Joesley Batista….
    Tenho a impressão que no dia em que eu morrer, não terei conhecido um brasileiro mais nojento, desprezível e fdp que nem ele.
    O Lula é terrível, mas entende-se que ele é um “player” o que justifica suas ações. Joesley, é apenas o escarnio encarnada.
    O escárnio venceu o cinismo.

  2. Só no Brasil mesmo um bandido é tratado como gente fina da alta sociedade, dá entrevista livre-leve-e-solto e ainda solta notinha na imprensa amiga chamando o presidente do país de ladrão. Tem conserto mais não, pode fechar a porteira dessa bagaça de país e tacar fogo.

  3. Este Joesley Batista é bem parecido com os empresários russos. Ele e o Lula foram feitos um para o outro. São o estereótipo do homo-sovieticus, desprovidos de senso moral.

Deixe uma resposta