Estudo desmascara mentira do PT: não houve nenhuma redução da desigualdade no Brasil entre 2001 e 2015

4
204

Pode parecer absurdo, mas é um fato: até hoje, em pleno 2017, há gente da direita que acredita que a esquerda preza mais a igualdade do que eles. Tanto que não é raro observarmos teóricos dizendo “eu, por ser de direita, prezo a liberdade, enquanto ele, de esquerda, preza a igualdade”.

Na verdade a pessoa de direita até preza mesmo mais liberdade, mas também, neste caso, preza “fazer papel de tonto nas mãos do esquerdista, que morre de rir quando o vê acreditar na tese de que esquerdistas defendem a igualdade”.

Vamos crescer, gente…

Seja lá como for, um estudo científico mostrou que tudo o que os petistas – que são da extrema esquerda – te disseram sobre “redução da desigualdade entre 2003 e 2014” nunca passou de mentira deslavada.

Segundo a Folha, o World Wealth and Income Database, instituto de pesquisa comandado pelo economista Thomas Piketty, disse que entre 2001 e 2015 os 10% mais ricos da população brasileira conseguiram aumentar 1% na sua fatia de renda nacional, subindo de 54% para 55%. Já os 50% mais pobres do país aumentaram sua participação de 11% a 12% no período. O crescimento ocorreu às custas da queda de participação de dois pontos percentuais dos 40% que estão entre os dois extremos (de 34% para 32%).

“Em resumo, a desigualdade total de renda no Brasil parece ser muito resiliente à mudança, ao menos no médio prazo, principalmente em razão da extrema concentração de capital e seus fluxos de renda”, conclui o estudo.

O crescimento ocorrido no país durante o período de governo dos dois presidentes petistas teve pouco impacto na redução da desigualdade porque os que mais se beneficiaram foram os 10% mais ricos do país que captaram 61% do impacto econômico e não os mais pobres, como pregam os petistas. Os pobres se beneficiaram com apenas 18% dos ganhos.

Este resultados estão de acordo com os observados pelos pesquisadores Marcelo Medeiros, Pedro Souza e Fábio de Castro, da Universidade de Brasília, que identificaram uma estabilidade no nível de desigualdade entre 2006 e 2012.

“A redistribuição que houve nos anos 2000 foi sobretudo na base da pirâmide, pelo aumento do salário dos trabalhadores menos qualificado por meio da valorização do salário mínimo e demanda maior por esses trabalhadores nos setores de serviços e construção naqueles anos”, diz a economista da USP e colunista da Folha Laura Carvalho.

“Os mais ricos continuaram se apropriando de uma parcela muitíssimo elevada da renda, que pode ser explicada pela alta concentração de riqueza financeira e não financeira no Brasil, além dos juros altos”, completa.

E lá se vai mais uma narrativa…

Anúncios

4 COMMENTS

  1. Mas isso não é para se comemorar, uma vez que o Thomas (socialista) Pikareta está reclamando, nas entrelinhas, de que os empresários brasileiros são mais resistentes ao empobrecimento coletivo promovido pelo socialismo, e portanto que o Brasil dificilmente se rebaixará ao nível da Venezuela!

  2. Tu é bom mesmo:

    “não é raro observarmos teóricos dizendo “eu, por ser de direita, prezo a liberdade, enquanto ele, de esquerda, preza a igualdade”.não é raro observarmos teóricos dizendo “eu, por ser de direita, prezo a liberdade, enquanto ele, de esquerda, preza a igualdade”.” Clap Clap Clap!!!
    .
    Há décadas, desde a adolescência que digo que a esquerda nunca quis igualdade ou qq benefício aos pobres (tão valorizados pela lenda cristã). Tal PIEGUISMO SEMPRE FOI APENAS ESTRATÉGIA para EMPULHAR imbecis e comprar gente barata (pobre é mais barato que rico: Joesley custou milhões de pobres).
    .
    Mas esses vagabundos, ditos conservadores, precisam manter o mito do cristianismo que inventou o POBRISMO e o COITADISMO como arma politica já na decadência do Império Romano ao emula SUN TZU (jogar uns contra os outros: pobre = maravilhoso bonzinho e rico um malvado ganancioso e demoniaco).
    Foi a estratégia moral do Império ao ver sua decadẽncia ante as DISPUTAS de PODER que em 476 cingiu o Império em ROMANO e BIZANTINO.

    Claro coisa de um seculo depois inventaram o ISLÃ (SUBMISSÃO) na mesma toada, visando usar profecias e promessas paradisiacas como ARMA para GUERRA POLITICA.

  3. Aquilo que chamam de Direita CONSERVADORA como se fosse uma teoria oposta à ideologia de Esquerda é uma fraude.
    Aquilo que efetivamente é simétrico à ideologia de Esquerda somente pode ser uma teoria que despreze o Estado como uma entidade superior, mística, e com pleno direito sobre toda a população em nome de uma EXÓTICA coletividade que o compõe.

    Se a única coisa que é universal como principio para socialistas e em simetria as idéias liberais se opõem É a REIVINDICAÇÃO de PODER ABSOLUTO para o ESTADO como CLASSE HIERARQUIZADA.
    Há marxistas cristãos, socialistas muçulmanos, socialistas que querem que o Estado seja único proprietário e que o Estado apenas controle a propriedade e etc. A única coisa COMUM A TODOS SOCIALISTAS É NO SENTIDO de CULTUAR o ESTADO e reivindicar seu absolutismo maior ou menor.

    Socialistas atribuem à HIERARQUIA ESTATAL PLENO DIREITO SOBRE TODA A SOCIEDADE. Logo conservadores NÃO se opõem tanto ao Socialismo qto Liberais ou Libertários.

    Ora, os tais apelidados de DIREITA CONSERVADORA, em alegada oposição aos de ESQUERDA, são igualmente adoradores desta entidade MÍSTICA denominada Estado.

    Ambos, CONSERVADORES e SOCIALISTAS defendem que os INTERMEDIÁRIOS da ENTIDADE FANTÁSTICA se imponham sobre toda a sociedade para guia-la ao “caminho do bem e para a salvação”.
    .
    O que desde suas premissas como IDEOLOGIA (teoria se baseia em principios e ideologia em FINS) define todos os tipos de SOCIALISMO é a defesa da ONIPOTÊNCIA ESTATAL, bem como a reivindicação de um ABSOLUTISMO para a HIERARQUIA ESTATAL.
    .
    Nisso os tais CONSERVADORES e SOCIALISTAS de todos os fedores SE IRMANAM como reivindicantes do ABSOLUTISMO ESTATAL sobre as nações e sobre a individualidade.

    Tanto CONSERVADORES quanto SOCIALISTAS SÃO COLETIVISTAS e defensores de coletivos como IDEOLOGIA. Os socialistas alegam o desejo da hegemonia dos trabalhadores e os conservadores querem a hegemonia de cristãos ou qualquer outro grupo unido por um MITO AGREGANTE.
    Ambos, conservadores e socialistas, SÃO ASSISTENCIALISTAS e desprezam o indivíduo como insacrificável em nome da coletividade.
    .
    Enfim, CONSERVADORES SÃO SOCIALISTAS que DEFENDEM o DIREITO DE PROPRIEDADE PRIVADA e nada além disso. Sendo que mesmo a propriedade privada deve estar sob “OBJETIVOS MAIORES” se assim o deus ESTADO (através de intermediários hierarquizados) decidir.

    Conservadores e Socialistas não são simétricos, mas apenas disputam o comando da ENTIDADE Estado, ou mesmo disputam quem será o INTERMEDIÁRIO oficial da ENTIDADE MISTICA Estado.
    .
    Ou seja, ambos possuem a mesma ÍNDOLE, mas disputam a hegemonia de seu grupo.
    Algo bem parecido com uma disputa entre o COMANDO VERMELHO X PCC ou, como já houve, CATÓLICOS X PROTESTANTES.

    No primeiro caso, ambos TRAFICANTES e no segundo ambos CRISTÃOS.
    .
    Se dois traficantes brigam, não significa que um lado é policial e tão pouco se duas facções religiosas entram em confronto não significa que um lado é ateu.
    .
    No fundo os janotistas SÃO SOCIALISTAS MODERADOS com receio de que o desmascaramento total das INSTITUIÇÕES ESTATAIS possam levar o ESTADO ao PLENO DESCRÉDITO e isso eles não querem de jeito nenhum.

    Só isso já mostra que a tal “direita” pretensamente simétria a esquerda É UM BLEFE!!!
    .
    SIMETRICA à Esquerda somente os LIBERTÁRIOS, que são extrema direita.

    Os Conservadores são DE CENTRO mais para esquerda e os Liberais classicos de direita. Socialistas,sejam nazistas, fascistas, fabianos ou utópicos são a esquerda e os marxistas revolucionários são a extrema esquerda.

Deixe uma resposta