As eleições de 2018 serão decididas na violência. O que fazer a respeito?

6
496

A agressão contra o Arthur, do MamãeFalei, bate com aquilo que venho dizendo: as eleições de 2018 serão decididas na violência.

Para entender o que significa compreender que as eleições em 2018 serão decididas pelo fator violência é preciso mudar o paradigma de análise política: sair da perspectiva da ciência política tradicional e adotar a dinâmica social das relações humanas (aplicada à política). Com isso, estudamos todos os eventos de mundo com base na relação custo-benefício e somente tomando por insumo de análise os comportamentos.

A partir desta ótica, podemos compreender que a esquerda perdeu o discurso, o que é facilmente comprovado na quantidade de vezes em que eles são expostos em contradições.
Daí é só compreender o que a dinâmica social prevê quando um lado não possui argumentos: partir para a violência.

Mas enquanto partir para a violência gera ganhos para o agressor, também gera ganhos para o lado político ao qual o agredido pertence no caso da violência ser denunciada. O agressor é danificado em sua imagem e pode sofrer punições (incluindo prisão, processo, etc.)

Pela ótica da esquerda, uma forma mais segura de partir para a violência como método político depende do cerceamento da liberdade de denunciação por parte da vítima. Ou seja, a censura.

Foi para isso que a partir de 2016, após a vitória de Trump e do Brexit, os investidores da esquerda (como Soros) começaram a investir os tubos em censura, incluindo o uso da narrativa da pós-verdade.

Ao mesmo tempo, a mainstream media partiu para o endosso e a apologia da violência contra direitistas.

Para isso funcionar, a mídia foi orientada a intensificar as rotulagens contra direitistas. O rótulo “nazista” já seria aplicado sem qualquer pudor. Enquanto isso, a mídia também é orientada a esconder qualquer violência contra direitistas. Logo, teríamos apenas “a personificação do mal” recebendo o tratamento devido.

Dito e feito, pois, como já disse, temos apenas a execução de uma dinâmica.

No Brasil, vemos a mainstream media acusar o MBL de “censura” (quando apenas defenderam boicote) ao mesmo tempo em que querem censurar o MBL, proibindo-os de emitir opiniões sobre financiamentos públicos de cultura e doutrinação escolar.

Do mesmo jeito que fazem nos EUA, escondem as agressões contra direitistas. Ou você viu algum grande meio noticiar a agressão contra o Arthur do MamãeFalei? Ou noticiar a ameaça de morte feita pelo editor do Zero Hora? Nada. Esconder essas violências e ameaças é parte do projeto de incentivo ao aumento da violência contra direitistas.

Como escrevi em meu livro “Liberdade ou Morte”, a fórmula é clara: aumentar a violência em par com o aumento da censura. Sem realizar os dois ao mesmo tempo, a estratégia de aumento da violência fracassa.

Quando digo que as próximas eleições serão decididas na violência, é pelo fato de que a esquerda já absorveu por completo a noção que misturar violência com censura é seu modo básico para manter ou chegar ao poder. Pelo lado da direita, partir para a mesma violência é absurdo (pois ela não tem meios de censurar a opinião pública e nem controlar a mainstream media e o judiciário). Logo, todos os esforços de violência e censura da esquerda devem ser combatidos por denunciação da violência e luta para acabar com a censura.

O jogo está aí para ser jogado.

Em suma: prepare-se para ver muita violência contra a direita até encaixarmos as estratégias de denunciação da violência e manutenção da liberdade que funcionem melhor. Mas parte essencial do jogo não vai sair disto: ou a direita estuda e planeja formas para denunciar fortemente a violência da extrema esquerda no Brasil (incentivada pela mainstream media, que é parte central do processo de incentivo à violência contra a direita), ou prepare-se para apanhar muito. Ou até morrer.

Anúncios

6 COMMENTS

  1. Distintos amigos : Esse prognóstico pode e deve ser evitado se nos organizarmos no sentido de manejarmos a “Iniciativa Popular Constitucional” no sentido do povo,urgentemente,criar Leis, somos mais 16.5 milhões de desempregados somados aos descontentes, esse é o quórum suficiente para direcionarmos os 03 Poderes da República para evitarmos uma nova tragédia,nesse sentido temos:”Segundo o artigo 61, §2 da Constituição brasileira de 1988, regulamentado pela lei 9 709 de 1998[1], é permitida a apresentação de projetos de lei pelos poderes Legislativo, Executivo e pela iniciativa popular. Neste último caso, a constituição exige como procedimento a adesão mínima de 1% da população eleitoral nacional, mediante assinaturas, distribuídos por pelo menos 5 unidades federativas e no mínimo 0,3% dos eleitores em cada uma dessas unidades(fonte Wikipédia)
    Saudações,
    ANGELO POCI I I

    • Sim, e tentar entrar no massa news, um reduto e tambemnna TV taroba, do grupo Muffato. Onde temo direitistas de.alto nivel, como Paulo Martins.

  2. Excelente análise! E é por isso que sempre insisto que osdireitistas se recusem a usar os rótulos criados para estigmatizar, seaqualificare inibir o discurso e toda a ação dos opositores da agenda globalista esquerdopata da NOM,tais como DISCURSO DE ÓDIO, RACISMO,XENOFOBIA, ANTISSEMITISMO,MACHISMO, HOMOFOBIA, ISLAMOFOBIA e outyros tão ou mais ridículos. Pois ao usá-los o direiyista legitima um instrumento que vale como regra feita para que eles ganhem sempre um jogo vital, o jogo do PODER!

Deixe uma resposta