Delatores da JBS dizem em áudio que PGR queria “acabar com o PMDB” e criam colapso de caos nas instituições

2
266

De acordo com a Veja, surgiram  novos de áudios de Joesley. Cada vez mais os áudios são reveladores.

Nos áudios, é possível ouvir Joesley conversando com os advogados Fernanda Tórtima e Francisco de Assis e Silva e o executivo Ricardo Saud, empolgados com a possibilidade de fechar um acordo de total impunidade (que durou vários meses).

Ai os três avaliam a reação dos procuradores (“eles gostaram, querem evitar o máximo mostrar que gostaram, mas a pressa deles mostra”, diz Tórtima; “eles gostaram pra cacete”, opina Silva), especulam sobre o futuro e os efeitos da “bomba” que tinham acabado de soltar.

“É a goleada deles [procuradores], sabe o que é? Você vir aqui, ajoelhar no milho, contar tuuuuudo e deixar um rabinho de fora. Aí vem outro, conta, e ele derruba seu acordo. Aí você ficou com cara de idiota. Ou seja: ele pegou tudo e te fodeu.”

O advogado disse: “Nós temos um risco. O risco é um: o comprometimento político de Janot com Temer”.

Joesley, ciente dos fatos, disse: “Eu acho que não existe”. Daí Silva diz notar uma disposição dos procuradores em temas ligados ao PMDB.

O advogado completou: “Eles querem foder o PMDB, eles querem acabar com eles”.

Agora o caldo entorna ainda mais, pois é preciso investigar supostos interesses escuros de gente da PGR ao atacar o PMDB, principalmente depois que o partido encerrou a aliança com o projeto totalitário do PT.

Isso vai dar mais pano pra manga…

E Janot se enrola cada vez mais.

Ao mesmo tempo, se a PGR é utilizada oficialmente para perseguir um partido (principalmente depois do fim da aliança com o PT) é o colapso total das instituições. Não é nem mais apenas uma situação de caos institucional, mas de colapso de eventos caóticos.

Isso vai ter que ser esclarecido.

Em tempo: eu sou contra intervenção militar, mas depois de ver os novos áudios de Joesley e notar sobre como o termo “instituição” se tornou um conto da carochinha no Brasil, é difícil fazer qualquer previsão.

Mesmo sendo contra a intervenção, é claro que hoje vivemos um cenário de vale tudo. Mas é vale tudo mesmo. Se não há mais limites, é difícil dizer que qualquer solução está descartada.

O cenário de caos absoluto não permite que nenhuma hipótese seja descartada, pois qualquer consequência é imprevisível.

Anúncios

2 COMMENTS

  1. Não tenho procuração para defender o atual governo, Mas, tá claro que estes criminosos ( os irmãos e seus paus mandados ), tinham um objetivo estabelecido, incriminar o governo Temer, e consequentemente, proteger os bandidos que lhes tornaram milionários com dinheiro dos contribuintés brasileiros. Se tiverem dificuldades de identificarem aquém os tornaram milionários foram os governos do Lula e da Dilma. Portanto, essa dedelação, tem muita coisa que ainda não veio a público. Essa história, está muito mal contada

Deixe uma resposta