Lindbergh surta de vez ao reclamar das privatizações; ele tem motivos para o choro

1
286

O petista Lindbergh Farias está explodindo de raiva diante do programa de privatizações do governo federal.

Ontem ele esperneou contra a privatização da Eletrobras, já anunciada pelo governo, e da Petrobras.

Apelando ao passado – que na verdade é um passado de vergonhas – da Eletrobras, ele falou dos 64 anos da empresa.

“O Rio de Janeiro, por exemplo, tinha uma marchinha que dizia: ‘Rio de Janeiro, cidade que seduz, de dia falta água, de noite falta luz’. E era essa a situação do país. Se não fosse a Eletrobras, o Brasil não tinha se desenvolvido nessa área de segurança energética”.

Puro papo furado.

Em relação a direita, precisamos parar com abstrações e focar no mundo real, nos efeitos reais e nas consequências reais.

Quando se pede privatização (para reduzir a corrupção), isso significa que tem muita gente de direita que não quer que empresas estatais sirvam como fonte de corrupção – levada a um nível absurdo – para que isso gere grana para projetos totalitários de poder.

Há uma razão para isso: pessoas de direita preferem buscar dinheiro e poder no mercado, enquanto pessoas de esquerda preferem ganhar dinheiro e poder no estado.

É simples assim e não tem fru fru fru…

Os dois maiores escândalos de corrupção do mundo tiveram como fonte dinheiro jorrando de estatais (Petrobras e BNDES). Quem meteu a mão nessa grana o fez a troco de projetos de poder. E estes projetos de poder (com base no estado) interessam muito mais à esquerda do que à direita.

Por isso não estou nem um pouco interessado em manutenção de estatais desnecessárias como Petrobras e Correios. Não quero o dinheiro dessas estatais. Não quero propina vinda dessas estatais. Não quero carguinho nessas estatais.

Quem quer isso geralmente está na extrema esquerda.

A coisa é prática deste jeito.

Termos como “manutenção das riquezas nacionais” ou “orgulho nacional” são palavras vazias. Podem soar até como sentenças bonitinhas, mas não possuem nenhum valor prático para um projeto político de direita consciente.

Se for só para palavras bonitinhas, é melhor citar poesias do que ficar com esse papo furado de “queremos manter orgulho nacional”.

Orgulho nacional é meuzovo! A Petrobrás é a vergonha desta nação…

Orgulho nacional é Ayrton Senna, e não Petrobrás.

Anúncios

1 COMMENT

  1. O Lindbergh e o seu partido não têm moral nem uma para criticar ninguém. Os governos do partido dele foi o mais corrupto que já tivemos na política brasileira.

Deixe uma resposta