Irmãos Batista lucraram R$ 238 mi com acordo de total impunidade. Onde está Janot?

1
179

Lemos o seguinte na Jovem Pan:

O Ministério Público Federal em São Paulo (MPF-SP) acusa os irmãos Joesley e Wesley Batista, empresários do grupo J&F, de terem lucrado R$ 238 milhões ao comprar e vender ações das próprias empresas, além de dólares, enquanto negociavam um acordo de delação premiada com a Procuradoria-Geral da República (PGR). Eles foram denunciados hoje (10) pelo órgão pelos crimes de uso indevido de informação privilegiada e manipulação do mercado, uma vez que realizaram as transações sabendo que a gravidade dos fatos apontados na delação poderiam abalar o mercado financeiro.

“Fazendo uso dessas informações, os irmãos Batista fizeram movimentações atípicas no mercado financeiro, atestadas pela Comissão de Valores Imobiliários [CVM] e por perícia da Polícia Federal”, explicou a procuradora Thaméa Danelon. Do valor lucrado, R$ 100 milhões foram adquiridos com a compra de dólares. A outra parte foi obtida por meio da compra e recompra de ações da JBS. “Neste caso não houve lucro, mas eles deixaram de perder”, apontou a procuradora. Wesley pode pegar até 18 anos de prisão e Joesley até 13 anos. Além disso, os irmãos podem ter que pagar multa de até três vezes o valor lucrado.

O procurador Thiago Lacerda destaca que a denúncia se sustenta porque há um “contexto probatório”. “Primeiro que eles não negam que deram a ordem [para a compra e venda das ações e dos dólares]. Segundo que a CVM já havia detectado movimentação estranha com a queda da bolsa, foi a maior desde 2008 e a valorização de dólar, em um dia, foi a maior desde 2009. São fatos que, somados a uma movimentação atípica, mesmo para dentro dos quadros da empresa, fica muito claro, inclusive apontado por laudos periciais, de que são responsáveis sim”, apontou.

Segundo a denúncia do MPF, as operações ilegais de venda e compra de ações ocorreram entre 31 de março e 17 de maio. A conversa com o presidente Michel Temer foi gravada por Joesley no dia 7 de março e no dia 28 do mesmo mês os denunciados assinaram termo de confidencialidade com a PGR. No dia 3 de maio, o acordo de delação premiada foi assinado e posteriormente homologado no dia 11 pelo Supremo Tribunal Federal (STF). No dia 17, véspera do fim do sigilo do acordo pelo STF, as informações foram vazadas para a imprensa.

Em nota, a defesa de Joesley e Wesley Batista reafirmou a regularidade das operações de derivativos cambiais e mercado mobiliário. Os advogados citam pareceres, documentos e relatos prestados às autoridades que comprovariam a legalidade das operações. “Tais operações fazem parte da rotina da empresa, excluindo a hipótese de excepcionalidade. Os executivos confiam na Justiça e continuam à disposição para reforçar todos os esclarecimentos já apresentados.”

Ok, ok… eles estão presos e ficando cada vez mais enrolados.

Mas onde está o Sr. Janot que permitiu que tudo isso acontecesse?

Ele poderia ter coletado todas as provas que queria contra Temer sem ter dado o acordo de total impunidade aos irmãos. Foi apenas este acordo de total impunidade que permitiu que eles ficassem soltos ganhando grana a partir do uso de informação privilegiada.

Detalhe: para que eles ganhassem essa grana, foi preciso causar um quebra quebra na economia do Brasil.

O mais vergonhoso é que o Sr. Janot até agora está solto, mesmo tendo sido culpado por tudo isso.

Anúncios

1 COMMENT

  1. Tem um dito popular que diz”um dia a casa cai” e a dos irmãos Batista desmoronou. Eles fizeram o que quiseram durante os treze anos dos governos corruptos do PT, aí agora eles se deram mal e agora eles vão ter de acertar as contas com a Justiça e o pior, passar umas longas férias na cadeia, quem sabe se essas ferias na cadeia não vai servir para eles fazerem uma reflexão e chegarem a conclusão que o crime não compensa.

Deixe uma resposta