Atitude de Danilo Gentili diante de militante travestido de jornalista da Folha foi perfeita

15
669

A principal vantagem que um jornalista de extrema esquerda possui diante de suas vítimas é a incapacidade de muitas delas perceberem que seu oponente só irá tratá-las com truques.

Porém, quando alguém adquire essa capacidade, basta desmascarar os truques.

E foi assim que Danilo Gentili agiu diante do desonesto jornalista Diego Bargas, da Folha.

Gentili escreve:

A Folha de SP publicou hoje uma matéria com a manchete “DANILO SE NEGA A FALAR SOBRE PIADA COM PEDOFILIA”. Eu gravei essa entrevista. Posto agora na íntegra. O jornalista da Folha foi honesto? Assista e tire suas próprias conclusões. De todo modo faço questão de apontar algumas coisinhas:

1) Esse cara do vídeo abaixo se chama Diego Bargas, e como pode ver nas imagens que postei aqui nos coments, ele se comporta mais como militante político do que como jornalista isento. Sendo assim, que credibilidade teria um torcedor do PT entrevistando eu, um artista que está literalmente na lista negra do PT?

2) Que tipo de jornalista cultural vai conversar sobre um filme de ficção/comédia e não faz uma pergunta sequer sobre direção, roteiro, fotografia, atuação e outros aspectos artísticos e cinematográficos?

3) Porque o mesmo cara que estava uma semana atrás defendendo a liberdade para todos artistas e que pedofilia é uma coisa e arte é outra, agora teve um surto moral e se mostra inconformado com uma obra artística de ficção, roteirizada, onde nada daquilo aconteceu na vida real? Chego até mesmo a pensar que na verdade ele estaria escandalizado porque retratamos o pedófilo como um vilão, sem relativizar a pedofilia. Seriam os pedófilos uma nova minoria a ser protegida das piadas?

4) Ao perguntar em tom de desaprovação se “pode fazer piada com pedófilo e psicopata” o cara que recebe um salário como “especialista de cinema” (uii) demonstra desconhecer momentos clássicos da sétima arte como o hilário piloto de “Apertem os cintos o piloto sumiu” ou o mais recente “Quero matar meu chefe”. Isso pra ser breve e ir parando por aqui. Os exemplos são incontáveis. Todo mundo conhece, menos o burrão aí. Aliás dá uma olhadinha nas imagens que postei aqui nos coments. O cara que reprova psicopatas na ficção parece admirá-los bastante na vida real.

5) Infelizmente a melhor parte desse encontro não foi filmada. Após cortarem a entrevista, ele se levantou dando suas bufadinhas e disse “Eu quero dizer que não gosto do filme”. Eu respondi: “E eu quero dizer que não me importo nem um pouco com a sua opinião”. AUHAHUAHUAHUAHUHA! Ele vai entrar aqui, ler isso e ficar irritadinho porque escrevi. E essa é a melhor parte de ter feito esse texto. HAAHAHHAH.

6) Se você assistir o que foi respondido e ler a matéria que ele publicou verá que eu tinha razão. Esse cara já tinha a matéria pronta, ignorando o óbvio, que o Fabrício tão pacientemente explicou. Eu, como já conhecia o tipo, nem me dei ao trabalho, pois saquei qual era a dele desde a primeira pergunta.

7) Se um cara como esse não gostou, não recomenda e ainda precisa fazer matéria desonesta é sinal que você deve correr para o cinema hoje mesmo e assistir “Como Se Tornar O Pior Aluno da Escola”. Nos vemos lá!

Ou seja, Danilo está de parabéns ao não ter tratado um embusteiro como alguém digno sequer de conversa.

Ver o vídeo:

Anúncios

15 COMMENTS

  1. Só pela cara do repórter, já dá pra perceber que é daqueles esquerdistas típicos: adorador do Che, doutrinado, sem cultura e sem preparo. Conheço um tipo igualzinho!

  2. Gente,a Folha é uma mídia a ser evitada….convenhamos….dar entrevista pra zé mané da folha porra nenhuma….manda esses cretinos “se fuderem” entre eles mesmos, já que eles gostam tanto de transar de costas….

  3. É um tremendo nonsense o sujeito afirmar que na ficção pode ser permitido a profanação de símbolos religiosos, pois uma pessoa pode escever um livro (de ficção) ofendendo negros, profanando símbolos judaicos e certamente será processado por isso. Ou seja, não faz o menos sentido, pois a ofensa a determinados indivíduos deixa de existir pr ela ter sido feita num contexto de uma obra de ficção?

    • Não, não é nonsense não.

      Por exemplo, considere o filme “Os Demônios”, dirigido em 1971 por Ken Russell. É profanação de símbolos religiosos o tempo todo.

      Ninguém será processado por exibir o filme:

  4. O que vemos hj é um bando de idiotas metidos à “jornalistas” querendo impor pautas esquerdistas achando que irão doutrinar um Povo, uma Nação … é o caso desse “pivete” … um idiotinha da esquerda imunda se achando “intelectual(*)” e querendo “cagar regras” impostas por Marxistas aloprados … é incrivel como eles se acham mais inteligentes que os demais …. coisa de doentes mentais …
    (*) Na minha concepção, “Intelectual PTsta” é aquele que só pensa quando está com a cabeça cheia de maconha e a bunda de esperma ….

  5. O que é profanar pra vc? Não sei.
    Como um “jornalista” aborda um tema sem saber seu significado???
    Esqueçamos qualquer viés ideológico!
    Já merecia ser demitido por despreparo.

Deixe uma resposta