Lava Jato mostra novas e arrebatadoras provas de que recibos de Lula são “fake”. Vem mais teatro por aí…

1
244

Conforme a Veja, a força-tarefa da Lava Jato em Curitiba apresentou na quinta-feira (19) ao juiz federal Sérgio Moro registros de doze ligações telefônicas entre Roberto Teixeira, advogado e compadre do ex-presidente Lula, e o empresário Glaucos da Costamarques, dono de uma cobertura vizinha à do petista, em São Bernardo do Campo (SP), e utilizada pelo ex-presidente.

Como esses dados foram obtidos? Simples: vieram da quebra dos sigilos telefônicos de ambos.

“Os elementos trazidos vêm a corroborar a narrativa feita por Glaucos da Costamarques a respeito de ter sido contatado por Roberto Teixeira durante a internação, período em que o contador João Muniz Leite compareceu ao hospital levando recibos para a colheita de assinaturas referentes à simulada locação do apartamento 121”, diz a Procuradoria.

Glaucos afirma ter assinado os recibos todos de uma vez só. As três visitas do contador João Muniz Leite a Glaucos da Costamarques ocorreram nos dias 3 e 4 de dezembro daquele ano. Um dia depois, Teixeira ligou mais uma vez, e ambos se falaram por cinco minutos.

No dia 6, o advogado de Lula tornou a ligar quatro vezes para Glaucos. A Lava Jato ainda achou outras cinco ligações até o dia 17 de dezembro, enquanto o empresário ainda estava hospitalizado.

Em suma, Lula está enroladaço. Agora resta aguardar o entediante teatro da falsa indignação de Lula e seus advogados diante dos fatos desagradáveis.

Anúncios

1 COMMENT

  1. Poderiam fazer a perícia da tinta utilizada em todas as assinaturas, será possível que todos os recibos tenham sido assinados com a mesma tinta (mesma caneta) se de fato ocorreram em momentos distintos do tempo e em circunstâncias diferentes?

Deixe uma resposta