Janaína Paschoal explica que mesmo antes de 2009 já era crime manter relações sexuais com menores de 14

8
326

Ao que parece, Caetano Veloso e Paula Lavigne compraram briga difícil para eles ao decidirem processar MBL e Alexandre Frota por que ambos citaram matérias da Playboy em que a ex-mulher do cantor contou que perdeu a virgindade aos 13 anos.

Imediatamente, a extrema esquerda deu início a narrativas dizendo que “não era crime naquela época”.

Bem, não é assim que as coisas são, de acordo com Janaína Paschoal.

Ver abaixo:

Clique aqui para ler o Decreto-Lei Nº 2848, de 7 de dezembro de 1940.

Foco na redação do artigo 213 em conjunto com o 224.

Anúncios

8 COMMENTS

  1. Pelo ser 224 presume-se vilencia se a vítima for menor de 14 anos, que era o caso da Paula Lavigne. Ou seja, houve sim um crime cometiso pelo Caetano Veloso.

  2. A perguntas validas aqui são: Esse crime prescreveu? Se não prescreveu, ele responderá criminalmente por isso, podendo assim ser preso? Consciente ou não, ele cometeu um crime e assim deve ser punido conforme determina a Lei, se o Brasil fosse um país serio, mas aqui existe um tipo de Lei para o Rico e outro para o Pobre, se fosse pobre já estaria preso com toda certeza.

    • Paulo,Paulo,você na precipitada defesa de um estuprador, não prestou atenção no texto e intenção da lei… Praticar conjunção carnal com uma criança,ou adolescente com a idade dela,já se presume estupro pela imaturidade da vítima… E por favor, poupe-nos desse papo de que “ali tem amor”! Ali teve é corrupção de menor aproveitando-se da imaturidade da vítima… E aproveitando a sua sugestão pergunyo-lhe:, lavou a louça? Você deveria melhor aproveitar o tempo, se não lavou, para se informar melhor antes de proferir o que comentou…

  3. Vovô devia ter morrido na prisão, ele e cidade toda. Vovó teve o primeiro filho aos 12, e aos 18 já tinha 7…
    NA Bíblia então nem se fala… Glória à jesui!!

    • Depende da idade do vovô, e das regras elação envolvendo a relação dele com a vovó… No caso que você cita, houve pleno entendimento das partes com anuência da sociedade na figura dos pais e consagrada na sacralização do casamento, entendeu Alexandre? Portanto seu vovô não marreria na prisão, pois ele legitimou seu relacionamento com sua vovó comprometendo-se com ela pelo casamento, instituição reconhecida e consagrada pela sociedade da época e, creia, de todos os tempos…

Deixe uma resposta