342 Artes não fez nenhum vídeo após extrema esquerda tentar impedir exibição de filme na base da porrada na UFPE

5
274

Nada como um dia após o outro quando avaliamos a coerência entre discurso e comportamento da extrema esquerda. O duplo padrão sempre é típico dos piores psicopatas da humanidade.

Não há uma regra moral. Um padrão. Um código. Sem limites entre certo e errado, vale tudo. Mas tudo mesmo.

Como se sabe, a extrema esquerda brasileira possui o mesmo plano da esquerda norte-americana: tentar vencer as próximas eleições na base da violência.

O objetivo é praticar o máximo de violência possível contra a direita. Para a direita, o objetivo deveria ser não deixar eles conseguirem seu intento e expor essa violência, para que o público perceba quão monstruosa é a atitude da extrema esquerda. Simples assim.

Como vimos anteriormente, há uma dinâmica para isso: a extrema esquerda escalou na rotulagem incluindo epítetos como “nazista” e “racista”. Isso é promovido pela mídia esquerdista. Ao fazer isso, eles combinam o jogo com as milícias, para que agridam os direitistas. Quando as agressões (e possivelmente até mortes) ocorrerem, basta dizer que são atos “antirracistas” e “antinazistas”. Ou seja, a rotulagem exagerada é um instrumento para promoção de violência contra direitistas.

Seguindo o padrão, milícias de extrema esquerda tentaram impedir a exibição do filme “O Jardim das Aflições” no prédio de Centro de Filosofia e Ciências Humanas (CFCH) da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) em Recife.

Como mostra o ILISP, “ao final da exibição da obra, militantes de extrema esquerda bloquearam um dos corredores que levavam à saída do ambiente gritando palavras de ordem como ‘1, 2, 3, 4, 5, mil, lugar de fascista é na ponta do fuzil’ e ‘fascistas não passarão’. Em resposta às provocações, o grupo que deixava o auditório caminhou até os extremistas também gritando palavras de ordem”.

O mais curioso é que mesmo que as tropas comunistas tivessem cerca de 50 pessoas, não conseguiram intimidar o grupo de direita de apenas 9 pessoas. Ou seja, são covardes.

O que importa é que esse é um legítimo ato de censura. A extrema esquerda tentou censurar o filme “O Jardim das Aflições” na base da violência.

Cadê o movimento 342 Artes que fingiu lutar contra “a censura”? Será que para eles “censura” só existe quando exigimos que o limite etário seja seguido, até para evitar que pessoas forcem crianças a tocar homens nu?

Na página do 342 Artes não há um pio contra a extrema esquerda que fica manchada na história como fascistas censores. O 342 Artes fica manchado junto por causa da conivência com os censores.

Isso sim é censura de fato. E por isso mesmo o 342 Artes não se manifesta. Alguma surpresa?

Anúncios

5 COMMENTS

  1. Esse povo são doentes, impedir de assistir homens nus com crianças pra eles é censura. Mas impedir de assistir um filme que eles não gostam, não é censura entenderam bando de artista IMUNDOS.

  2. Nenhuma surpresa com o silêncio dessa gente. Todos os regimes marxistas implantaram censura. A intolerância e a perseguição de opositores faz parte da alma marxista. O marxismo é um projeto de poder, que usa a “justiça social” como falso pretexto. Esta ideologia picareta já matou mais de 100 milhões de pessoas e vai continuar oprimindo e matando enquanto existir, pois é a sua natureza.

  3. Esquerdismo é sinônimo de hipocrisia, muita hipocrisia.

    Nenhuma surpresa, portanto, Os lixos só estão sendo lixos, i.e., esquerdistas.

  4. Quando eu digo que a ESQUERDA É PODRE,IMORAL,ANTIDEMOCRÁTICA,AUTORITÁRIA E DITADORA, ninguém acredita mas é. Responderemos nas urnas em 2018,NOS AGUARDEM MORTADELAS DOS INFERNOS.

Deixe uma resposta