Apresentadora egípcia é condenada a 3 anos de prisão por falar de mães solteiras e mídia silencia

0
214

Falemos agora do caso envolvendo a apresentadora de TV Doaa Salah, que foi multada e condenada à prisão por “ameaçar o tecido da vida egípcia” ao usar seu espaço na emissora Al-Nahar para discutir sexo e gravidez fora do casamento. Ela foi sentenciada a três anos de detenção, mais multa de 10 mil libras egípcias, cerca de R$ 1,8 mil, mas ainda pode recorrer da decisão, disse a BBC. As informações estão numa matéria do Globo.

Claudia Wild escreve:

Doaa, em um de seus programas, resolveu falar sobre casos de gravidez fora do casamento, sobre o divórcio e a inseminação artificial no mundo ocidental.

Por tal programa ela foi processada criminalmente e condenada a três anos de prisão e ao pagamento de uma multa, “por propagar imoralidades e tentar corromper a sociedade egípcia através da televisão”.

O Egito é tido como um país de islã “ moderado”. Eis a prova inequívoca desta moderação.

Vamos aguardar a manifestação das nossas queridas feministas! Vamos ver o que elas farão por esta mulher muçulmana.

De fato a Globo tocou no assunto. Outras mídias o fizeram. Mas apenas de maneira breve, sem qualquer polêmica ou campanha por Doaa Salah. Os movimentos feministas estão bastante silenciosos diante de um caso de extremo machismo.

Alguma surpresa?

Anúncios

Deixe uma resposta