Petição popular pelo fim da “saidinha” que permitiu a Jonathan matar Kelly consegue 13327 assinaturas em 1 dia

7
424

A morte de Kelly Cadamuro despertou a revolta de muitas pessoas por causa do benefício da popular “saidinha” dos presos. Mas neste caso é ainda pior, pois seu assassino, Jonathan Pereira do Prado, 33 anos, estava preso por um crime violento, de assalto à mão armada, e mesmo assim ele pôde receber a “saidinha”.

Jonathan, de 33 anos, confessou que armou uma cilada ao combinar uma carona com a vítima de São José do Rio Preto (SP) até Itapegipe (MG). Se não tivesse recebido a “saidinha”, Jonathan estaria preso até hoje e Kelly não teria sido morta de forma tão cruel.

Até o momento, 13327 pessoas assinaram a petição online que é contra o benefício da “saidinha”. Clique aqui para assinar a petição.

A pedição diz:

O Estado de São Paulo e o Governo Federal fortuitamente “condenaram” à morte, a vítima Kelly Cristina Cadamuro, cidadã brasileira que pagava seus impostos e contribuía com a sociedade. Em desfavor à segurança pública, o governo do estado de São Paulo influenciou indiretamente em sua morte por conta da lei federal na LEP – Lei de Execução Criminal (disposto no art. 122) que permite a saída temporária de presidiários em regime semiaberto. O réu confesso, Jonathan Pereira do Prado, que ceifou brutalmente a vida de Kelly Cristina Cadamuro, e que estava no Centro de Progressão Penitenciária (CPP), foi o maior exemplo disso após ser liberado e não ter retornado para o CPP.

As consequências negativas da saída temporária, 5 vezes no ano e 35 dias de liberdade: só no estado de São Paulo, em média a cada saída, 50 mil presos ganham o benefício e cerca de 900 não retornam às penitenciárias porque insistem em continuar no crime. Mesmo que a maioria não cometa crimes ao sair, boa parte dos que não retornam tem praticado roubos, assaltos, homicídios, latrocínios e estupros, pois as estatísticas do país, desde quando a lei da saída temporária foi oficializada, provam que vários casos criminais decorrentes destas saídas vieram à tona. E este é o maior motivo desta petição. Se uma vida é ceifada por conta de uma lei que beneficia um grupo de pessoas, a sociedade deve lutar pelo direito à segurança e a vida, quando o estado não consegue protegê-la.

Segundo o Jurista Edilson Mougenot Bonfim, em entrevista recente ao Jornal da Band, o maior problema é uma ausência de uma análise mais criteriosa para a concessão do benefício: “Onde está o exame criminológico para dizer quem pode ou não sair? É só na base do olhar? Por que cumpriu o requisito de tempo de pena e pode sair? Como é que eu vou analisar se essa pessoa apresenta ou não, risco a sociedade?”

Na Páscoa, Dia das Mães, Dia dos Pais, Finados e Natal, aumentam os casos de delitos e crimes graves onde a sociedade fica em pânico com milhares de indivíduos que não poderiam estar convivendo com a sociedade e por isso estão presos cumprindo as suas penas.

Em memória de Kelly e tantas outras vítimas, dizemos Não à saída temporária de pessoas em regime semiaberto. E dizemos SIM À VIDA!

Outro suspeito, Wander Luís Cunha, 33, está preso em São José do Rio Preto. Ele teria sido apenas receptador dos objetos furtados da jovem, segundo a investigação policial.

Anúncios

7 COMMENTS

  1. Sou totalmente contra a “saidinha”. As famílias que perderam seus entes queridos pelas mãos d criminosos podem ter algum beneficio nos feriados? NÃO, porque algum bandido tirou a vida do familiar deles. E quem foi roubado recebe o beneficio de ser curado do trauma? Não, fica mais em pânico por saber que os bandidos estão soltos “pra verem a família” e voltar a roubar com o apoio do “direitos humanos”.

  2. Sem saidinhas, sem benefícios para famílias de criminosos outrocar absurdo ” Bandido mata família recebe e a família do morto? Nada… E sem diminuição de pena bandido pegou 30 anos deve cumprir os 30 anos e pronto!

  3. Sou contra a saidinha e as famílias que perderam seus familiares se matou estrupou deveriam ficar em prisão perpétua ou ter pena de morte a esses assassinos porque eles não tem pena de ninguém,matam por qualquer coisa sem dó.

  4. Acho uma canalhice o governo permitir saídas, pois bandido é bandido e não vai mudar, e ainda vem essa vergonha Nacional deste país, Direitos Humanos, onde? Cadê vocês cambada de salafrários para dar apoio a família que perdeu seu ente querido? Cadê vocês pra apoiar esta mãe, que perdeu sua filha , uma jovem cidadã, que pagava seus impostos, trabalhava, uma pessoa que perdeu a vida nas mãos de um bandido, foragido, porque o estado não tem competência para nós assegurar, e vem defender bandidos?
    Onde está o respeito a vida, onde está as leis a favor de pessoas decente? Ainda vem os Dois H. defender? Coitadinho, não teve chance na vida, a sociedade não lhe deu oportunidade, se forem pensar assim, cento e cinquenta milhões de brasileiros vai virar bandido,através deste governo que afundaram, e continua afundando o país, vamos virar bandido, já que como cidadãos não temos direito nenhum.

Deixe uma resposta