Guga Chacra redefine as “fake news” ao chamar direita polonesa de “nazista”

6
273

Já ouvimos falar muito sobre as “fake news”, mas isto que veremos agora é ridículo. Quando Trump usou o termo “very fake news”, provavelmente falava de coisas que transcendem a escala normal de avaliação de mentiras na mídia.

É o caso do jornalista Guga Chacra, que usou sua conta no Twitter para afirmar:

Capturar.JPG

Ele citava uma matéria bizarra do The Guardian cujo título era “Europa Branca: 60,000 nacionalistas marcham no dia da independência da Polônia”.

22.JPG

Observe a foto acima: os manifestantes de direita ostentam símbolos antinazistas e antimarxistas.

Na verdade, a Polônia é hoje um dos países mais conservadores da Europa. Por isso mesmo, possui forte aversão ao nazismo e ao marxismo, dois modelos de extrema esquerda para tomada de poder.

Mas o que está por trás das mentiras de Guga Chacra? Leandro Ruschel escreve:

O que ocorre é o seguinte: o socialismo globalista é a força política mais poderosa desde a queda do muro de Berlim, produzindo supressão das identidades nacionais e a concentração de poder. Importante não confundir globalização com globalismo. A globalização envolve a abertura de mercados e livre comércio entre nações independentes, o globalismo envolve a perda de identidade nacional em nome de um Estado único, de cunho socialista e concentrador de poder.

Podemos dizer que a União Europeia é o grande ensaio dessa arranjo, onde temos uma organização não democrática sendo montada há décadas, tirando o poder regional, concentrando o poder nas mãos de burocratas não eleitos, que implementam um regime socialista, com altos impostos e regulamentação, tirando a soberania do povo, como ficou claro na abertura das fronteiras para milhões de muçulmanos com uma cultura hostil aos valores europeus.

A Brexit, a eleição de Trump e os governos conservadores no Leste Europeu, além do crescimento do movimento conservador na Alemanha e na França fazem parte de contra-movimento que tem como objetivo final a defesa dos valores conservadores, das nações livres e autodeterminadas.

Os arquitetos do governo mundial enxergam nesses movimentos a maior ameaça ao seu projeto e precisam desqualificá-los de todas as formas. Usam para isso o quase monopólio que possuem na imprensa, além do controle sobre as grandes empresas de internet como arma para atacar os movimentos de oposição ao globalismo, tratando-os como fascistas e racistas.

Ou seja, essa “very fake news” de Guga Chacra tem por objetivo estigmatizar a direita a partir de um nível de falsidade assustador. Vale até inventar que um antinazista é “nazista”. Quando a coisa chega neste nível, a esquerda globalista entende que não há mais limites.

O importante a ter em mente é que a mídia sabe que rotulagens como “homofóbico” e “sexista” são uteis para estigmatização de pessoas. Mas rotulagens como “racista” e “nazista” servem a um objetivo ainda mais sórdido: provocar violência contra o oponente.

Guga Chacra sabe disso e age com esse objetivo: provocar violência contra direitistas. O desmascaramento desse sujeito deve ser firme e assertivo.

Anúncios

6 COMMENTS

  1. Coitados dos poloneses…, não, não, pera lá, pior mesmo é coitado de nós brasileiros por termos um Guga Chacra como jornalista de um lixo como a Globo.

Deixe uma resposta